Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

As Medicinas Tradicionais

Saúde; Medicinas Alternativas; Medicinas Naturais

As Medicinas Tradicionais

Saúde; Medicinas Alternativas; Medicinas Naturais

Qui | 15.11.18

Andar de bicicleta

Medicinas Alternativas
 

Andar de bicicleta fortalece a alma e o corpo, segundo um relatório elaborado pela Universidade Alemã do Desporto. "As pessoas ao andarem de bicicleta regularmente poupam muitas visitas ao médico".

"Imensas pessoas com problemas como dores de costas, excesso de peso ou doenças cardiovasculares, podiam desfrutar de mais anos de boa saúde se usassem a bicicleta mais vezes", diz o estudo.

 

Prepare-se para pedalar

Antes de qualquer exercício físico, convém lembrar-se que não se pode começar de repente. 

O capacete e o colete reflector podem ser relevantes.

 

Mente sã

As pessoas ao andarem de bicicleta com regularidade, ficam mais resistentes a patologias do foro emocional, como p.ex. as depressões. Pedalar é um dos melhores antidepressivos naturais para este estado emocional.

 

Estes são os principais benefícios deste desporto:

- Afasta as infecções
O exercício físico estimula o sistema imunitário e aumenta o número de glóbulos brancos, ajudando o organismo a defender-se de vírus e bactérias.

- Coração mais forte
Pedalar reduz o mau colesterol e o risco de enfarte em aprox. 50%.

- Melhora as suas costas
O ciclismo estimula os pequenos músculos das vértebras dorsais.

- Melhora o meio ambiente

Pedalar não produz nenhuma emissão comparativamente aos carros, o que é mais uma excelente notícia para o ambiente e para quem o quer preservar.

- Os joelhos beneficiam
Com a bicicleta os joelhos ficam protegidos, já que mais de 70% do corpo assenta sobre o selim. Para além disso, as coxas e os glúteos tornam-se mais musculados e flexíveis.

- Poupa tempo e dinheiro

Centenas de milhões de pessoas no mundo, utilizam a bicicleta para as suas deslocações urbanas e o mesmo acontece em imensas cidades europeias. Para além de ser um exercício recomendável e saudável, permite ainda uma poupança significativa, já que é o meio de transporte mais económico e ecológico, sobretudo em comparação ao automóvel.

 

Entre as suas vantagens, amplamente reconhecidas e elogiadas noutros países, destacam-se:

- A bicicleta minimiza o orçamento familiar (comparativamente ao automóvel)

- A utilização deste meio de transporte permite escapar aos engarrafamentos e assim reduzir o tempo da deslocação

- O custo de uma boa bicicleta é muito inferior ao de um carro

- Promove um bom estado de saúde e, por conseguinte, diminui a necessidade de recorrer a medicamentos

O ideal seria ter, no mínimo, 2 a 3 h por semana para pedalar. Segundo os "especialistas", os benefícios deste desporto começam logo depois dos primeiros 20 min a pedalar.

 

Os resultados que consegue ao pedalar durante:

10 minutos – Articulações melhoram
20 minutos – Sistema imunitário sai beneficiado
30 minutos ­– Sistema cardiovascular sai beneficiado
40 minutos – Melhora a capacidade respiratória
50 minutos – Aceleração do metabolismo
60 minutos –  O stress diminui

 

Temas relacionados:

Exercício da serpente para a coluna vertebral

Ataque cardíaco: Prevenção e factos

Sabia que estar demasiado tempo sentado...

Sabia que o exercício físico chega a ser mais eficaz que os fármacos?

Vida sedentária reduz tamanho do cérebro

 

 
Que o teu alimento seja o teu único medicamento! Hipócrates - Pai da Medicina
Qui | 15.11.18

A vida a diminuir no Ocidente

Medicinas Alternativas
 

Não só nos EUA, também na Alemanha, a média de vida parece estar a diminuir, após um período de crescimento contínuo nas últimas décadas. Este dados são os mais actuais, aguardam-se outros dados de outros países nos próximos tempos.

As pessoas estão a morrer mais cedo. Enquanto a expectativa de vida desce, entretanto, aumentam as despesas em cuidados de saúde (ou será antes cuidados com as doenças?!). E o número de doentes e de doenças continua a subir.

O departamento ianque de saúde U. S. Centers for Disease Control and Prevention`s, publicou em 2011, 1 relatório, segundo o qual, a média de expectativa de vida da população no EUA/EE UU voltou a diminuir.

 

O aumento do número de mortes deveu-se a doenças respiratórias cronicas o que fez com que a expectativa de vida caísse de 77,9 para 77,8 anos. Isto pode talvez parecer à primeira vista uma redução mínima, porém essa redução sinaliza inequivocamente o início de um movimento descendente. 
Na Alemanha passa-se o mesmo, segundo os dados recentes.

 

Altíssimos custos com os cuidados de "saúde" e pessoas doentes 
O relatório mostra, mais uma vez, o desajuste entre o aumento das despesas no sector da saúde e a mediocridade de resultados, como fica demonstrado através da baixa de longevidade. O sistema de saúde no EUA é sem margem para dúvidas um dos mais caros do planeta, porém a expectativa de vida da população ianque cai.

E não só isso,  eles não só morrem mais cedo, como também estão longe de estarem entre as pessoas mais saudáveis do mundo – como talvez seria de supor, devido ao sofisticado e dispendioso sistema de saúde ianque.

 

Por que isto está a acontecer nestes 2 países?

A notícia, na verdade, não é nada surpreendente. Pois quem hoje em dia, não se adaptar, à dose diária habitual de sintéticos/químicos, aos aditivos alimentares, se não aprender como transformar como que por magia os "alimentos" processados industrialmente e desvitalizados, em substâncias vitais/vivas, e também se não souber como pode deixar o seu corpo sofrer as mutações necessárias para que este continue a ser saudável mesmo estando quase todo o dia sentado, irá adoecer. Tão simples quanto isso.

 

Tratamento dos sintomas, em vez de formação em saúde

Precisamente aqui, neste ponto, o sistema de saúde de uma nação devia intervir. A sua tarefa seria a de explicar para as pessoas o que elas poderiam fazer melhor, contribuir de forma diferente, a fim de a pessoa ser e ficar saudável. Mas não é isso que acontece, bem longe disso.

Os chamados sistemas de saúde dos países industriais baseiam-se em grande parte no tratamento dos sintomas de uma doença. De uma formação em saúde, no sentido de uma significativa e verdadeiramente útil cura nutricional, assim como conselhos para a vida dos utentes, aqui os sistemas de saúde ocidentais estão ainda a anos luz desta realidade.

 

Pessoas saudáveis não interessam ao sistema de doença? 
Também receitar produtos naturais, suplementos alimentares ou medicamentos naturais, o quotidiano mostra que esta prática ainda é muito rara. Antes pelo contrário. Neste ponto, ainda se afirma levianamente que uma alimentação adequada e saudável pouco influencia o desenvolvimento da doença, e remédios naturais são completamente ineficazes!

Mais parece que eles querem manter a população, definitivamente, longe de um estilo de vida mais saudável , como se temessem perdas financeiras ou políticas caso as pessoas começassem a adoecer menos de cancro, de diabetes ou do coração.

 

Qual o médico que recomenda óleo de hortelã-pimenta para as dores de cabeça?

Já começa nas pequenas coisas. Qual o médico convencional que recomenda, p. ex., óleo essencial de hortelã-pimenta para as dores de cabeça ou dor de dente? Provavelmente, quase nenhum. Mas por que alguém quererá engolir um comprimido sintético para a dor, se existe uma excelente alternativa, sem trazer o risco de hemorragia interna (e de muitos outros efeitos colaterais das drogas farmacêuticas), como aquela célebre droga farmacêutica cujo nome começa por A?

 

Povo ideal: Apto para trabalhar mas com doenças crónicas 

Alguns acreditam que os governos destes países ficarão felizes perante a queda prevista da expectativa de vida. Quanto mais cedo as pessoas morrerem, menos o Estado (ou a Caixa de Previdência) tem que gastar em serviços sociais e cuidados de saúde.

Se este for o caso, a melhor combinação seria ter as pessoas aptas para o trabalho e cronicamente doentes, que pouco tempo antes da pensão/reforma/aposentadoria sucumbissem. Aí ambas as partes sairiam beneficiadas, ou seja, primeiro a indústria farmacêutica e, mais tarde o Estado/Caixa de Pensões/Aposentadoria.

 

As pessoas saudáveis são inúteis 
Segundo a perspectiva da indústria farmacêutica, você se torna inútil, caso você se prevenisse de ficar doente, pois neste caso, não iria precisar de drogas, cirurgia ou quimio("terapia"). E, do ponto de vista do Estado, você também é considerada inútil, i.e., quando você se aposenta/reforma, deixa de pagar tantos impostos como quando trabalhava, e caso se torne bastante idoso passa a ser encarada como um ónus financeiro para o Estado!

Vivemos no meio a um sistema em que as pessoas são consideradas uma espécie de galinha de ovos de ouro. Para que o "ouro" flua continuamente, não é preciso muito. Um pouco de manipulação aqui, um pouco de desinformação ali, e então tudo trabalha na direcção pretendida por quem puxa os cordelinhos.

 

Quem beneficia com a sua saúde? Só VOCÊ, claro!  
Poucos irão beneficiar com a sua boa constituição e sua saúde. Você mesmo e a sua família é que ficam a ganhar com a saúde. 

Daí a razão, de serem tão raros os anúncios que lidam com a prevenção de doenças e realmente com um modo de vida saudável. Pois, imagine, as pessoas poderiam ficar saudáveis e se tornarem tão velhas como algumas pessoas que atingiram mais de 120 anos.

 

Então, felicidades para a sua nova, livre e saudável vida!

A boa notícia é: ninguém tem de ficar amarrada ao sistema. Todo o mundo pode quase a qualquer momento, saber como ter uma vida saudável e como fazer prevenção de doenças. Não irá demorar muito. Depois de ter lido um pouco sobre o fascinante assunto, o seu espírito vai reconhecer a verdade.

Os seus olhos vão arregalar-se e vai descobrir: a sua saúde e a sua expectativa de vida estão mesmo nas suas mãos.

Você, pode tornar-se independente do sistema de saúde/doença que é pouco útil. Assim que começar a pensar de modo diferente, vai reconhecer e ter consciência das manipulações e fraudes das empresas farmacêuticas assim como do Estado e verificar como é óptima a sensação de assumir a responsabilidade pela sua saúde.

 

Nota:

Desconheço se a longevidade em países como Brasil, Cabo-Verde e Portugal está também a baixar. A avaliar pela contaminação e grau de poluição no Brasil e em Portugal, aumento de doenças, a par da deterioração dos valores sócio-económicos nestes 2 países, não se augura nada de positivo, a não ser que se dê uma revira-volta na melhoria da qualidade de vida destas populações.

 

Longevidade em diversos países (em anos)

- Mónaco              89,5

- Singapura          85

- Macau                84,5

- Islândia               83

- Suíça                  82,6

- Luxemburgo       82,3

- Itália                   82,2

- Suécia                82,1

- Liechtenstein      81,9

- França e Noruega 81,8

- Espanha               81,7

- Alemanha             80,7

- Grécia                  80,5

- EUA/EE UU         79,8

- Portugal               79,3

- Síria                     74,9

- Brasil                    73,8

- Moçambique         53,3

- Guiné-Bissau        50,6

 

Temas relacionados:

Ter filhos aumenta a longevidade

Brasil e Indonésia: Longevidade; A UE perde em toda a linha

Sabia que estar demasiado tempo sentado...

Jejum renova as células, diz Nóbel de medicina

”Os segredos de saúde dos Hunzas”

Longevidade: Iraniano com 134 anos de idade

China: A terra da longevidade

Encontrada a bactéria do rejuvenescimento?

 

Fontes:https://as-medicinas-alternativas.blogs.sapo.pt/ocidente-a-longevidade-esta-a-diminuir-199452 

Qui | 15.11.18

A cozinha chinesa

Medicinas Alternativas
 

Confúcio, o grande pensador chinês que viveu entre 551 e 479 antes da actual era cristã, disse que «o melhor caminho para o coração dos seus amigos começa na sua cozinha». Muitos séculos depois, pegamos nestas palavras sábias e lançamos um desafio. Compre os ingredientes necessários e ofereça aos seus convidados um jantar original. Devido à sua variedade e colorido, a cozinha chinesa pode parecer muito complicada de confeccionar, mas não é tanto assim. Siga as nossas dicas!

Saúde no prato

Os princípios da gastronomia chinesa estão intimamente ligados a métodos curativos. Na verdade, ao longo de mais de 5.000 anosa distinção entre comida e remédio quase não existiu. Assim, para a Medicina Tradicional Chinesa (MTC), tudo o que faz bem ao corpo é, simultaneamente, remédio e alimento. Numa época como a actual, em que o enfoque sobre a alimentação é tão forte, ela apresenta-se, por isso, como uma excelente alternativa à ração lixo/plástico/junk food e às refeições congeladas.

Uma cozinha equilibrada

Um dos conceitos mais importantes na gastronomia da China é a classificação dos alimentos em dois grandes grupos, os alimentos Yang e os Yin. De facto, é nesta filosofia que a cultura chinesa (e não apenas a culinária) assenta. Os chineses afirmam que todos os problemas têm como causa o desequilíbrio entre estes dois elementos e, na cozinha, isto materializa-se numa variedade alargada de ingredientes usados nos mais diferentes pratos.

Os alimentos considerados Yin são aqueles que possuem propriedades refrescantes, como é o caso dos rebentos de soja, da cenoura, do pepino, do tofu e do agrião, só para referir alguns. Os Yang são os alimentos quentes, como o bambu, o alho, o caril, os ovos, o gengibre e os cogumelos. Mas há mais! O equilíbrio entre eles é a chave para uma alimentação equilibrada.

Lista de compras

Agora que já conhece os princípios que norteiam este tipo de cozinha, vamos apresentar-lhe alguns produtos que não pode deixar de ter na despensa ou no frigorífico se quiser arriscar-se nos sabores asiáticos.

O que adquirir para fazer comida chinesa:

- Gengibre

Condimento muito útil na digestão de alimentos difíceis como o feijão, sendo amplamente usado. Digestivo e picante, aquece e é bom para náuseas, vómitos e certos tipos de dores e espasmos.

- Arroz

Acompanha quase todos os pratos nas suas variadíssimas formas. Com mais ou menos água, germinado, em farinha, entre outros... Existem vários tipos, como o carolino, o agulha, o selvagem... Doce, fortificante do sistema digestivo, expele toxinas e parasitas, aumenta a energia e é benéfico para o sistema nervoso.

- Feijão mungo

Este feijão muito pequeno de cor verde é muito utilizado com arroz, servido em sopa no verão, para refrescar, é também óptimo em saladas. Encontra-o, sobretudo, geminado nos supermercados. Refresca, desintoxica (é muito utilizado em casos de intoxicações alimentares), é diurético, ajuda a tratar edemas, conjuntivite, acidez e pressão alta.

- Cogumelo shitake

Mais usado na cozinha japonesa, assim como na cozinha chinesa, óptima opção para incluir nas suas experiências culinárias. Muito usado na sopa de miso e não só. O miso é uma pasta fermentada de feijão de soja que pode conter ou não um cereal. Bom para o estômago, ajuda na prevenção do cancro. É um dos alimentos que mais estimula o sistema imunitário, baixa o colesterol e possui um grande poder desintoxicante.

- Cenoura

Usada em sopas, xaropes, estufados, entre outros tipos de preparação. Na China, é presença habitual nos salteados cozinhados na frigideira chinesa chamada de uoque/ wok. É um dos alimentos mais disseminados do planeta, elimina toxinas, é benéfico para o fígado e actua contra a indigestão, diarreia e disenteria, sendo diurética. É rica em betacaroteno, que protege contra o cancro e doenças dos olhos.

- Batata-doce

É dos alimentos que mais se vendem na China. É utilizada em purés, sopas, podendo também ser saboreada assada. Doce, às vezes, até exageradamente, fortifica o sistema digestivo, oferece energia, trata inflamações e é indicada para combater problemas oftalmológicos.

- Algas

Serve como condimento depois de tostada (por cima do arroz, por exemplo), pode incluir-se em saladas (cortada em juliana), estufados, sopas (no final da confecção), entre outras utilizações. Existem muitos tipos de algas marinhas. Pelas suas características, a mais associada à cozinha japonesa, a alga nori, que envolve o famoso sushi.

Trata-se da mais assimilável das algas e tem propriedades diuréticas. Segundo a medicina chinesa, actua contra a gota, baixa o colesterol e a pressão arterial e ajuda na digestão, especialmente dos fritos. 

- Miso

É o ingrediente que dá sabor e cor à sopa de miso. É frequente incluí-lo em molhos e patés. Tem a capacidade de salgar. Existe uma grande variedade de misos, que podem ter várias cores, diferentes cereais acrescentados (como o arroz ou a cevada), menos ou mais sal (cuidado para quem tem pressão arterial alta) e tempo de fermentação variável, entre outras características. Ajuda na digestão e assimilação, actua contra as más gorduras, alcaliniza o sangue, fortifica o sistema imunitário.

- Molhos e bases

Os ingredientes mais comuns para a confecção de molhos e bases são o óleo de soja, o molho de ostra, o óleo de sésamo e o vinagre de vinho (no sul da China também se utiliza o óleo de coco). Modere o uso de sal em pratos que incluam molho de soja, uma vez que este já contém bastante sal na sua composição. Se preferir, opte por um molho de soja leve, à venda nalguns supermercados. A farinha de milho também é muito usada para engrossar estes molhos.

 

Texto adaptado de Marco Costa professor de MTC (Escola Superior de Medicina Tradicional Chinesa)

 

«Que o teu alimento seja o teu medicamento» Hipócrates há cerca de 2.500 anos.

 

Temas relacionados:

Cogumelos: Combatem a demência ?

Milhares de anos após os chineses, o ocidente “descobre” novo órgão do corpo humano

Cancro terminal: Doentes recuperam após praticarem Chi Cungue/Kung

MTC: Acupunctura (tradicional) trata choro de bebés com cólica

MTC, Chi Cungue: Mulher curada de cancro da bexiga em menos de 3 minutos

Problemas renais devido à carne

Condimento chinês mata as células cancerígenas

O alho e os seus enormes benefícios

Ginkgo biloba: Para que serve

A framboesa, ajuda na prevenção de cancro e doenças inflamatórias

Investigação: MTC - Acupunctura melhora a asma alérgica em 85% das pessoas

Planta usada na MTC mata vírus da SIDA

MTC - Auriculoterapia, o que é e para que serve

China: A terra da longevidade

Exercício da serpente para a coluna vertebral

MTC: Os mistérios das Fáscias

 
Que o teu alimento seja o teu único medicamento! Hipócrates - Pai da Medicina
Qui | 15.11.18

O pão refinado

Medicinas Alternativas
 
“A hiperinsulinémica possui papel relevante na fisiopatologia do enfarto do miocárdio , do acidente vascular cerebral e do cancro/câncer” ou “Pão branco: O assassino silencioso”
José de Felippe Junior 

“Quando você prospera na vida deve se preparar para ganhar falsos amigos e verdadeiros inimigos” desconhecido do século XXI.



Quando um país ganha o status da estabilidade económica o povo prospera, aumenta o consumo de supérfluos e muda a sua alimentação e seus hábitos. Começa a ingerir grandes quantidades de alimentos saborosos ricos em açúcar branco e farinhas refinadas, alimentos bonitos de se ver e péssimos de se comer e engordam e fazem menos exercícios. Ganham falsos amigos - alimentos refinados, embutidos e enlatados - e ganham verdadeiros inimigos - obesidade central, doenças degenerativas e sedentarismo. 

Nestes países a ingestão de pão branco, pão francês , baguetes e pães de hambúrguer é exagerada e de uma forma inocente acompanha todas as refeições, café da manhã , almoço e jantar, aumentando assustadoramente o índice glicémico e a carga glicémica . 

O aumento do índice glicémico e da carga glicémica são os factores causais de várias doenças degenerativas como o enfarto do miocárdio, acidente vascular cerebral e muitos tipos de câncer.

Hiperinsulinemia e Resistência à Insulina 

Cada ano que passa se acrescenta na literatura médica, trabalhos epidemiológicos e prospectivos que relacionam, nos países desenvolvidos e economicamente estáveis, os factores de risco que provocam hiperinsulinemia (sedentarismo, obesidade central, alta ingestão de carboidratos/hidratos de carbono refinados) com o aumento da prevalência das principais doenças degenerativas (enfarto do miocárdio, diabete não dependente de insulina, cancro/câncer colo-retal, adenoma colo-retal, cancro/câncer de mama, cancro/câncer de próstata) sugerindo que a hiperinsulinemia pode ser considerada importante factor promotor destas doenças .

A ingestão de alimentos refinados provoca no período pós prandial, um aumento da glicose no sangue a qual é responsável pela produção exagerada de insulina: hiperinsulinemia. Com o passar do tempo, a persistência da hiperinsulinemia, acarreta a diminuição da sensibilidade dos receptores de membrana à insulina e surge a “resistência à insulina” a qual aumenta ainda mais a glicemia em um verdadeiro ciclo vicioso. O aparecimento de resistência à insulina provoca dificuldade de penetração da glicose do extracelular para dentro das células.

De importância prática é o facto de podermos diagnosticar em clínica esta dificuldade de passagem da glicose do extracelular para o intracelular: dosando a INSULINEMIA .
Já ao olhar para uma pessoa podemos suspeitar fortemente da presença de hiperinsulinemia com resistência à insulina: presença de obesidade central - aumento do volume do abdomen (aumento de gordura intra abdominal). 
O normal estatístico da insulinemia está entre 2,5 a 25 microU/ml , porém o normal fisiológico, aquele que empregamos para prevenir doenças é aquele que mais se aproxima do valor inferior: 2,5 a 5 microU/ml.

Insulinemia elevada significa dificuldade de penetração da glicose no compartimento intracelular com o consequente stresse oxidativo metabólico e os trabalhos epidemiológicos realmente mostram que populações com aumento da insulinemia têm maior probabilidade de apresentar as doenças degenerativas relacionadas ao stresse oxidativo: aterosclerose (enfarto do miocárdio e acidente vascular cerebral) e vários tipos de cancro/câncer. Acrescente-se pelos mesmos motivos a hipertensão arterial, os diabetes não dependente de insulina, as artrites, as artroses e as doenças neurodegenerativas (Doença de Parkinson e Doença/Mal de Alzheimer). 

Classificação dos Carboidratos/Hidratos de carbono - Índice Glicêmico - Carga de Glicose

Os carboidratos podem ser classificados em “simples” e “complexos”, de acordo com o grau de polimerização ou “integrais” e “refinados” de acordo com a maior ou menor quantidade de nutrientes essenciais que possuem. Entretanto a interferência dos carboidratos na saúde e na doença são melhor entendidos do ponto de vista fisiológico e bioquímico, conhecendo-se a sua capacidade de aumentar a glicose no sangue quando ingeridos: ÍNDICE GLICÉMICO . 

O índice glicémico é um parâmetro quantitativo que verifica quanto um determinado alimento é capaz de elevar a glicose no sangue no período pós prandial. Ele é a relação entre dois parâmetros a/b: a- é o nível glicémico provocado pela quantidade fixa de um determinado alimento teste e b- é o nível glicémico provocado pela mesma quantidade de um alimento padrão, glicose ou pão branco, na mesma pessoa.

O índice glicémico é expresso como a percentagem de aumento da glicose no sangue provocado por determinado alimento, em relação a uma porção equivalente de pão branco ou glicose. (Wolever- 1985, 1986, 1991, 1992a , 1992b ,1994). Matematicamente o índice glicêmico é a área abaixo da curva glicêmica para cada alimento expresso como a percentagem da área após a ingestão de uma mesma quantidade de glicose ou pão branco. Outro parâmetro importante que provou sua utilidade em estudos epidemiológicos.
E  a “carga de glicose” que reflecte o efeito glicêmico total da dieta. A carga de glicose é o produto do índice glicémico e o carboidrato total da dieta (Wolever - 1996 , Salmeron -1997a ,1997b , Liu - 2000). Indice glicémico de alguns alimentos em relação à glicose. Por definição o índice glicêmico da glicose em relação a ela mesma em percentagem é de 100.

 

Note o valor altíssimo do índice glicémico da batata.


O índice glicémico depende de vários factores:

1. tipo de açúcar que o alimento contém - glicose, sacarose, frutose, lactose, etc. 
2. forma física do carboidrato/hidrato de carbono - tamanho da partícula e grau de hidratação 
3. alimentos que acompanham o carboidrato na refeição - gordura e proteínas.  

Quanto menor a velocidade de absorção do carboidrato menor é a elevação da glicemia no pós prandial e menor será o índice glicêmico. Existem vários benefícios na ingestão de uma dieta com baixo índice glicêmico: redução das necessidades de insulina, melhor controle da glicose no sangue, redução do colesterol e triglicérides e manutenção da sensibilidade dos receptores de membrana os quais permitem a normal entrada de glicose para as células da economia o que permite e mantém a eficácia intracelular de protecção contra o stresse oxidativo metabólico. Todos esses factores e particularmente o controle do stresse oxidativo desempenham relevante papel na fisiopatologia das coronariopatias, doença cerebrovasculares, diabetes, doenças degenerativas da idade e muitos tipos de cancro/câncer.

A ingestão de alimentos de elevado índice glicémico com a rápida libertação de açúcar simples e os altos níveis de glicose pós prandial provocam como já vimos o aumento da produção de insulina. O resultado é a hiperinsulinemia a qual com o passar do tempo provoca a característica resistência à insulina devido à diminuição da sensibilidade periférica dos seus receptores. Para nós clínicos “hiperinsulinemia” é o mesmo que “resistência à insulina”.

A sequência bioquímico-fisiológica é: a ingestão de alimentos com elevado índice glicémico provoca aumento da glicose no sangue a qual provoca o aumenta dos níveis de insulina no sangue (hiperinsulinemia) a qual provoca diminuição da sensibilidade dos receptores de membrana à insulina (resistência à insulina) dificultando a entrada da glicose do extracelular para o intracelular fechando o círculo vicioso e provocando aumento da glicose no sangue (Jenkins - 2000).

Factores que reduzem a velocidade de absorção da glicose reduzindo portanto os níveis de insulina no sangue ( Jenkins-2002)

1. alimentos de baixo índice glicémico
2. fibras solúveis
3. aumento da frequência das refeições
4. ingestão de proteínas juntamente com o carboidrato/hidratos de carbono
5. ingestão de gordura juntamente com o carboidrato
6. inibidores da amilase - acarbose 


Factores que diminuem o índice glicémico
1. presença de amilopectina / amilose 
2. frutose
3. galactose
4. fibras viscosas: guar , beta-glucan
5. arroz integral 
6. partículas grandes
7. presença de inibidores da amilase: lectinas , fitatos
8. presença de proteínas e gorduras na refeição 


Factores que aumentam o índice glicémico
1. ausência de amilopectina /amilose
2. glicose
3. batata 
4. ausência de fibras viscosas: guar , beta-glucan
5. carboidrato em partículas pequenas ou dissolvido em água (refrigerantes)
6. arroz branco completamente desprovido do seu farelo (prefira o arroz integral)
7. ausência de inibidores da amilase: lectinas , fitatos
8. ausência de proteínas e gorduras nas refeições 

O Elo Esquecido: Associação entre Hiperinsulinêmica e Estresse Oxidativo
Inúmeros trabalhos da literatura médica apontam para a importância das reacções de oxido-redução na fisiopatologia das doenças degenerativas como a aterosclerose e o cancro/câncer. 

A hipótese lógica é: se combatermos o stresse oxidativo com antioxidantes (vitamina E, vitamina C, n-acetil-cisteina, polivitaminicos antioxidantes, etc.) estaremos prevenindo o aparecimento e o agravamento dessas doenças. 

Esta hipótese foi amplamente demonstrada em animais de laboratório onde a alimentação e o ambiente são muito bem controlados. Entretanto, o raciocínio simplório e ingénuo de combater o stresse oxidativo simplesmente ingerindo pílulas mágicas, isto é, os muito dispendiosos antioxidantes (vitamina E , vitamina C , n-acetilcisteina, selénio, polivitaminicos antioxidantes, etc.) não provocou mudança sensível da prevalência de cancro/câncer ou aterosclerose em vários estudos epidemiológicos.

O stresse oxidativo deve ser combatido não com pílulas mágicas e sim com mudanças dos hábitos de vida: alimentação inteligente e sensata, actividade física moderada, maneira de encarar os problemas do quotidiano, higiene do sono, livrar-se dos metais tóxicos, abolir o tabaco e o álcool, afastar-se dos campos electromagnéticos prejudiciais e no final e apenas quando os anteriores forem cumpridos o uso de antioxidantes.

 

Porque o pão de hoje em dia é de tão má qualidade?

A maior parte do pão (convencional), que é  hoje vendido, não é biológico e tem como um de seus principais ingredientes o trigo. Este cereal nos últimos 50 anos foi tão adulterado genéticamente que o trigo actual nada tem a ver com o trigo da antiguidade. Neste cereal moderno, são encontradas 14 novas proteínas de glúten, proteínas que nunca se encontrou no trigo da antiguidade, tudo isto devido à ganância da ciência e da indústria para gerar maior quantidade de trigo e ser mais fácil para a panificação. Assim se alterou toda a estrutura bioquímica do trigo. Desse modo se formaram no trigo antinutrientes que quando consumidos por nós, resulta em sobrecarga. O trigo desta espécie encontra-se nas massas, pão, pizza e na pastelaria.

Quem hoje consome frequentemente trigo, arrisca a contrair cancro de rim.

 

As consequências são estas:

- Aumento da obesidade

- Aumento de problemas digestivos (diarreia, diverticulite, doença celíca, doença de crohn, fezes soltas, gases, obstipação...)

- Aumento galopante de várias doenças associadas ao consumo de pão, afectando o sistema imunitário, o sistema ósseo, sistema digestivo, a musculatura, acne, diabetes, cancro do rim, etc.

- Aumento vertiginoso da intolerância e alergia ao trigo por causa do glúten

- Corrimento nasal, por vezes confundido com constipação/gripe

- Estupidificação devido às alterações intestinais que afectam o cérebro, isto devido aos ingredientes do trigo como os antinutrientes
 
 
 
Temas relacionados:
 
 
Qui | 15.11.18

A poluição electromagnetica

Medicinas Alternativas
 

A proliferação crescente de antenas de telecomunicações e redes wireless têm um lado controverso: a intensificação das radiações artificiais. O programa Biosfera explora os impactos da poluição electromagnética na saúde e apresenta-lhe a saúde prejudicada devido à electrosensibilidade.

Na Dinamarca os casos de tumores cerebrais duplicaram num curto espaço de tempo. Porque será?

Não apenas na Dinamarca, os casos de tumores cerebrais têm subido em flecha em mais países como Portugal, Espanha, França, Brasil, Cabo Verde, Itália e em mais uns quantos.

Por enquanto na Europa apenas a Alemanha, a Bélgica, a Holanda, a Suíça e a Suécia tomaram algumas medidas para proteger as crianças e parte da sua população.

Venda de telefones celulares/telemóveis para crianças proibidas na Bélgica

Desde 1 de Março de 2014, os celulares/telemóveis que são especialmente concebidos para as crianças já não poderão ser introduzidos no mercado belga. Trata-se de telefones móveis personalizados adequados para crianças menores de 7 anos de idade, por exemplo, ter alguns botões e uma forma atraente para as crianças. Além disso, a partir desta data, nenhuma publicidade pode ser feita para uso do telefone celular entre a mesma faixa etária.
Taxa de Absorção Específica (SAR) passa se tornar informação obrigatória ao consumidor
Quando você compra um novo telefone celular, a partir de agora você vai ser capaz de escolher o seu novo dispositivo com base na taxa de absorção específica (SAR). O valor da SAR é diferente para cada telefone celular. O valor de SAR terá de ser indicado, juntamente com as outras especificações técnicas, não só na loja, mas também para as vendas à distância através da Internet.

«Os danos no ADN são uma certeza para o Prof. Olle Johansson (o perito sueco mencionado no artigo da Visão), reforçando as observações de Barrie Trower, especialista militar EMF britânico, no tempo da Guerra Fria. Ele disse que desde 1971 que se tem a certeza da existência de efeitos não térmicos sobre a actividade biológica, porque a matéria foi exaustivamente estudada no meio militar.»

EDP - Contadores "inteligentes"

O contador chamado de inteligente(!) emite uma radiação (poluição electromagnética) >1.000 vezes um telemóvel de última geração!!! Ou seja, cada aparelho destes vai emitir 24 h por dia, 7 dias da semana e 365 dias do ano!

Agora multiplique-se isto pelos contadores "inteligentes" da vizinhança do próprio prédio e dos prédios vizinhos e algumas pessoas ficarão rodeadas por dezenas de milhares de "telemóveis" devido aos contadores ditos "inteligentes".

Os casos de alergias, Alzheimer, abortos espontâneos, alterações de humor, alterações no ADN dos fetos humanos, alterações hormonais, autismo, bebés que não conseguem dormir, cancro, crianças hiperactivas, diabetes, dores de cabeça, depressão, dores, fibromialgia, homicídios, insónia, Parkinson, suicídios, tensão arterial alterada, tumores e mais umas quantas doenças vão subir consideravelmente.

 

 Um excelente vídeo do Bioesfera, imperdível:

 

 

Aviso de Carl Sagan sobre democracia, ciência e tecnologia:

 

 

Barrie Trower (5/14) - Escolas sem seguro contra danos por microondas:

 

A ROLETA RUSSA DO TELEMÓVEL, de Robert Kane (2001), é o livro que a indústria de telecomunicações temeu e retirou do mercado, comprando todas as cópias que conseguiu do livro (PDF) < http://www.weebly.com/uploads/3/4/2/5/3425631/tlm-roleta-russa.pdf >, vejamos porquê: 
Excertos do livro:
• "Considere-se novamente que durante a década de 1970, os resultados da investigação da própria indústria de telecomunicações provaram haver uma exposição excessiva do utilizador de dispositivos portáteis de transmissão, então, a indústria decidiu rasgar as leis da Física e permitiram-se comercializar os seus produtos para um público desavisado."
• "Os investigadores usaram um modelo simplista e homogéneo, equivalente ao tecido muscular, composto de água salgada e pó de plástico";
• "T. Kobayashi avisou que o uso dos habituais geles eram propensos à degradação, desidratação e invasão por fungos e bactérias. Todos esses efeitos conduziriam a dados experimentais incorrectos, mas quase todos os investigadores usaram estes modelos para as suas experiências de laboratório, apesar dos avisos";
• "Muitas das conclusões destes investigadores são extrapolações com base em resultados obtidos a partir de estudos e modelos irrealistas e bonecos de plástico";
• " (...) A energia armazenada em campos em redor da zona da antena emissora é algo que a indústria evita falar porque muito poucos, só os engenheiros de antenas e investigadores em electromagnetismo estão conscientes de sua existência. Em algumas circunstâncias, a energia armazenada é 10 a 100 vezes maior do que a energia irradiada. Em grande parte depende da configuração da antena. O conhecimento desta
grande quantidade de energia armazenada pode ser "eficientemente" ligada à cabeça e ao cérebro do usuário e deveria ser o suficiente para manter todos longe dos telefones portáteis, excepto os mais ousados";
• "Em vez de fornecer os modelos realistas para os pesquisadores, a indústria optou por usar o público como cobaias das suas experiências";
• "Eles, os intelectos que buscam escapar aos valores morais, estão condenados neste planeta e a sua culpa está além do perdão. - Ayn Rand, Atlas Shrugged". De Basílio Desorta (https://www.weebly.com/uploads/3/4/2/5/3425631/carta_de_leitor_zona_wi-fi-perigo_bis.pdf).

 

 

O que se pode fazer? 

– Atender o telemóvel longe de si e das pessoas;

– Coibir o uso para crianças e adolescentes (como o cérebro está em desenvolvimento, a penetração da radiação é muito maior nestes casos);

– Dar preferência ao uso de mensagens de texto ;

– Desligar à noite e nunca deixar perto da cama;

– Grávidas devem evitar o uso de wi-fi, wlan, telemóveis, principalmente próximo do abdómen;

– Manter o aparelho afastado do corpo;

– Manter o aparelho afastado de próteses metálicas;

– Não utilizar em hospitais (onde as pessoas já estão com a saúde debilitada);

– Não usar perto de doentes;

– Não usar em veículos fechados;

– Quando usar mantenha curtas chamadas;

– Recusar a colocação de contadores ditos inteligentes;

– Telefonar pelo telefone fixo;

– Usar sempre auscultadores, desse modo mantém o telemóvel mais longe da sua cabeça;

– Utilizar a internet e afins somente por cabo;

– Usar só em casos extremos;

 

Temas relacionados:

OMS: Radiação do telemóvel é cancerígena?

Wi-Fi: Perigo para a sua saúde

O micro-ondas é prejudicial para a sua saúde ?

Picos de radiação espalhados pela Europa

Campos electromagnéticos: Proteger a população

Porque estão a aparecer tantos tumores cerebrais?

Wi-Fi: uma perigosa e invisível ameaça à saúde. O que fazer?

Experiência: Plantas não crescem perto de roteadores Wi-Fi

Celular/telemóvel: Perigo à espreita

Telemóvel: Cientistas de 39 países, alertam para os perigos para a saúde

Antenas dos telemóveis: Dois pesos e duas medidas nas radiações?

O uso intensivo de equipamentos eletrónicos, leva a um aumento de miopia nas crianças

Iphone causa comportamento suspeito nas formigas

O perigo das ondas electromagnéticas através dos contadores "inteligentes" da EDP

 Mais:

https://www.facebook.com/moppe2016/

https://www.weebly.com/uploads/3/4/2/5/3425631/carta_de_leitor_zona_wi-fi-perigo_bis.pdf

http://visao.sapo.pt/actualidade/sociedade/2016-05-05-Zona-Wi-Fi-Perigo-para-a-saude-

http://visao.sapo.pt/actualidade/sociedade/2016-05-05-Wi-fi-Entre-na-polemica-sobre-os-potenciais-riscos-para-a-saude

http://visao.sapo.pt/actualidade/sociedade/2016-05-05-Carta-do-Prof.-Gilberto-Santos-Zona-wi-fi-Perigo-

http://visao.sapo.pt/actualidade/sociedade/2016-05-05-Os-leitores-e-a-discussao-em-torno-do-wi-fi

http://www.naturalblaze.com/2017/01/whats-doubling-brain-tumors-in-denmark.html

https://camposeletromagneticos.wordpress.com/2012/04/01/poluicao-eletromagnetica-e-a-nossa-saude/

http://sustentabilidadenaoepalavraeaccao.blogspot.pt/2016/11/poluicao-eletromagnetica.html

https://camposeletromagneticos.wordpress.com

https://piramidal.net/2015/04/20/poluicao-eletromagnetica-e-a-nossa-saude/

http://sanfrancisco.cbslocal.com/2017/03/02/cellphone-radiation-exposure-fact-sheet-draft-released-by-california-health-officials/

 

 

Qui | 15.11.18

Frutas e legumes

Medicinas Alternativas
 

Ingerir 5 porções de fruta e de legumes por dia é positivo para a saúde. Mas comer o dobro das porções é ainda melhor e poderia evitar 7,8 milhões de mortes prematuras por ano! (Suponho que este número se refira à Europa).

Estas conclusões são de uma meta-análise conduzida por peritos do Imperial College of London e publicados no International Journal of Epidemiology com base em informações de 95 estudos que envolveram mais de 2 milhões de pessoas.

Os resultados da investigação, afirmam ser muito positivo para a saúde ingerir por dia aprox. 800 gr. de frutas e vegetais, o equivalente a 10 porções de 80 gr. cada uma.

Actualmente a OMS - Organização Mundial de Saúde recomenda a ingestão diária de 5 porções de frutas e legumes, i.e. aprox. 400 gr. de vegetais.

Uma porção é, por exemplo, uma pêra, uma maçã ou um cacho de uvas ou ainda três colheres de sopa de legumes cozidos.

De acordo com diversos estudos, o consumo deste número de porções de vegetais promove uma redução do risco de de doenças cardíacas em 24%, de AVC em 33%, de doenças cardiovasculares em 28%, de cancro em 13% e de morte prematura em 31%. 

Os pesquisadores concluíram ainda que na prevenção das doenças cardíacas, cardiovasculares, AVC e morte prematura os vegetais mais eficazes são a alface, a chicória, os brócolos, as frutas cítricas, espinafres, as maçãs, as pêras e o repolho.

Segundo eles os vegetais verdes, como os espinafres ou feijão verde, e legumes amarelados, como as cenouras, ajudam a reduzir o risco de cancro.

Segundo os cientistas, os legumes e frutas "contêm muitos antioxidantes que podem reduzir o risco de lesão no ADN e reduzir o risco de contrair cancro".

 

Obs.:

As porções não devem ser tomadas à letra, pois vai variar com a idade, com o sexo, com o tamanho da pessoa. Uma coisa é estarmos a falar de um homem com 2,10 m de altura e 150 kg de peso e outra de uma mulher com 1,50 m de altura e 50 kg de peso. O metabolismo também varia de pessoa para pessoa. Daí resultar que as porções variarem de pessoa para pessoa, claro que comer legumes e frutas é muito importante para o ser humano disso não tenhamos dúvidas.

 

Temas relacionados:

Pêssego: 12 benefícios na saúde

Os melhores alimentos para aumentar a fertilidade

Alimentos que ajudam a combater a perda de memória

Vários benefícios do arando/oxicoco (cranberry)

27 alimentos mais alcalinos: Para proteger a sua saúde da larga maioria das doenças, incluindo cancro

Os coentros: 18 benefícios para a sua saúde

A banana e suas características

-  27 antibióticos naturais

Couve-flor; Benefícios e propriedades (receita)

 
Que o teu alimento seja o teu único medicamento! Hipócrates - Pai da Medicina
Qui | 15.11.18

Eliminar ácido úrico

Medicinas Alternativas

O excesso de ácido úrico traz muitos prejuízos ao nosso bem-estar. Normalmente a quantidade exagerada desse ácido advém da má alimentação. Quando os cristais se aderem às articulações e a alguns tecidos circundantes, isso comummente produz a gota, que causa muita dor, sensibilidade, vermelhidão e inchaço nas articulações.

Para quem tem gota e ácido úrico elevado, é importante limitar a ingestão de álcool, uma vez que interfere na eliminação desse ácido. Evite o consumo de doces (frutose, xarope de milho, sacarose), pois eles tendem a aumentar os níveis de ácido úrico.

Fazer exercício físico regularmente e manter um peso saudável é muito importante. Acredita-se que a gordura aumente a produção de ácido úrico. Deve-se adoptar uma dieta equilibrada rica em vegetais alcalinos e pobre em proteína.

Evite carboidratos refinados, como pão branco, massas, bolos, doces, bebidas gasosas, chocolate, vinho tinto, carnes (especialmente as mais gordurosas), enlatados e embutidos. Corte alimentos ricos em gordura, uma vez que reduz a capacidade do corpo para eliminar o ácido úrico.

A maioria dos óleos vegetais se transformam em gorduras rançosas quando aquecidos ou processados. As gorduras rançosas destroem a vitamina E, vital no corpo e essencial para o controle dos níveis de ácido úrico. Opte por azeite de azeitona/oliva (ou óleo de coco) prensado a frio em vez de usar óleo vegetal (canola, soja, milho…), manteiga, margarina ou gordura nos seus alimentos.

Tratamento caseiro para este problema.
É um remédio antigo, tradicional e que já livrou muita gente do ácido úrico e da gota. A medicina popular tem várias mezinhas que muitas vezes resultam devido a ter por detrás muita sabedoria popular. Tratamentos que a maioria das pessoas não dá nada por eles e revelam-se muito eficientes. É o caso desta receita muito simples, usada no tempo dos nossos avós, caida no esquecimento por ser comercialmente desinteressante.

O tratamento dura 30 dias.

Tomar 1 colher de sopa cheia de óleo de rícino três vezes no mês: no dia 1º, no dia 15 e no dia 30.
Fazer isso de manhã cedo, em jejum.
Nesse período, tomar probióticos, cápsulas de lactobacilos, enfim, algo para proteger a flora intestinal.
Beber também água suficiente.
E evitar bebidas alcoólicas, refrigerantes, chocolate, carnes e derivados, leite, alimentos processados e refinados, trigo e frutos do mar.
É  tão simples o tratamento, que não custa tentar.  Usar somente o puro, para uso interno, somente este serve para tratamento. 

 

Temas relacionados:

Acupunctura tradicional melhora tratamento convencional contra dor e depressão

Boswellia serrata para a saúde dos joelhos

Argila Bentonita: Benefícios e formas de usar

A valiosa e barata couve; 9 benefícios

Intestinos: A relevância do bom funcionamento

Dores: Relação com os sentimentos e emoções

Receita para dores nas articulações 

 
Que o teu alimento seja o teu único medicamento! Hipócrates - Pai da Medicina
Qui | 15.11.18

Pêssego

Medicinas Alternativas
 

O pêssego é rico em vitamina A, vitamina B, vitamina C, vitamina K e contém muitas substâncias que combatem o cancro. 

O pêssego é uma fruta de origem chinesa é o seu nome científico é Prunus persica. O pêssego ajudar a nutrir corpo excelente fonte em vitaminas, minerais e fitonutrientes. Contém sais minerais como o ferro, potássio, sódio, fósforo, iodo, cobre, manganês, magnésio, carboidratos, fibras e cálcio

É importante comprar pêssegos biológicos, já que os pêssegos convencionais são pulverizadas com pesticidas e herbicidas nocivos, OGM ou transgénicos, o que prejudica quaisquer componentes benéficos no pêssego.

 

Um pouco de história:

A China é o país original do pêssego. Lá eles já eram conhecidos há 2.000 antes de Cristo. Para eles, esta fruta era um símbolo da imortalidade.

Provavelmente, há cerca de 1.000 anos atrás, o pêssego chegou à Europa através da Pérsia.

A fruta é cultivada hoje em áreas vitícolas na Europa Central, bem como em muitos locais com climas subtropicais no mundo. A China será ainda hoje o maior produtor mundial de pêssego.

 

Benefícios: 

-  Fruta madura e fresca como o pêssego na alimentação é uma óptima maneira de ajudar a controlar a fome e perder peso. Este fruto faz se sentir saciado e impede que coma demais.

 

- Ajuda a manter a pele elástica e brilhante.

 

- Ajuda a reduzir a ansiedade e o stresse e na naturopatia diz-se que o pêssego é o  fruto que acalma.

 

- Ajuda a reduzir a queda de cabelo e possui um efeito positivo sobre o couro cabeludo.

 

Ajuda no controle do diabetes e obesidade por possuir compostos bioactivos que podem lutar contra o diabetes e outras doenças relacionadas à obesidade.

 

- Os níveis de vitamina C no pêssego são elevados, daí esta vitamina ser um ingrediente essencial para beneficiar a elasticidade da nossa pele, assim como manter nosso sistema imunológico em bom funcionamento. O pêssego ajuda a diminuir o processo de envelhecimento precoce e reduz a formação de rugas graças aos antioxidantes, como a vitamina C e o ácido colagénico.

A vitamina C, é essencial na formação de ossos, dentes, pele, músculos e vasos sanguíneos dos bebés. Além disso, ajuda a absorver melhor o ferro, um mineral muito importante durante a gravidez

 

- Os pêssegos biológicos são ricos em ferro e vitamina K, que são duas substâncias importantes para manter a saúde do coração. A vitamina K impede a coagulação do sangue e protege contra uma variedade de doenças cardíacas. O ferro mantém o sangue forte e saudável além de previne o aparecimento da anemia. O licopeno e luteína deste fruto também reduzem significativamente o risco de desenvolver doenças cardíacas.

 

- São uma relevante fonte de beta-caroteno, composto que é convertido em vitamina A no organismo, e que é essencial para a boa saúde das nossos retinas. Pessoas com problemas de visão têm frequentemente deficiência em beta-caroteno, assim com o consumo de pêssegos os níveis de beta-caroteno são aumentados e irão promover a saúde dos olhos. Este composto também ajuda a prevenir a cegueira nocturna e degeneração macular relacionada à idade.

 

- Os pêssegos são uma ótima maneira de limpar as toxinas do seu cólon, rins, estômago e fígado. Com alto teor de fibras, seu corpo expelirá quaisquer resíduos tóxicos em excesso no intestino, e ajuda a proteger contra o cancro/câncer de cólon. Além disso, também são ricos em potássio, o potássioajuda na redução das doenças relacionadas com rins e reduz as chances de desenvolvimento de úlceras.

 

- O pêssego tem compostos bioactivos e fenólicos que agem como verdadeiros agentes naturais contra a obesidade e a inflamação, sendo de grande utilidade para reduzir o colesterol ruim LDL.

 

- Os pêssegos biológicos são ricos em antioxidantes, que vão desde o licopeno, vitamina C até ao ácido colagénico. Os antioxidantes ajudam a eliminar os radicais livres no organismo, que normalmente causam doenças com risco de vida e doenças como o cancro/câncer, doenças auto-imunes e ainda outras doenças.

 

- O potássio contido no pêssego é óptimo na redução das doenças relacionadas com os rins e ajuda a limpar a bexiga. A concentração de potássio e outras vitaminas desta fruta vai permitir manter a função renal normal assim como do fígado. O consumo de pêssego ajuda a evitar a nefrite e uma variedade de outras doenças renais, bem como ajudar a eliminar as pedras nos rins.

 

Usos do pêssego:


Uso culinário
Seu uso neste campo é muito amplo e pode ser consumido:

- Comer fresco e com casca

- Em batidos

- Em iogurtes vegetais ou não

- Em molhos

- Em saladas

- Em sobremesas

- Em sumos/sucos

- Em tortas

- No chá


Uso medicinal
Todas as partes do pêssego têm sua utilidade.

As folhas, serão de grande benefício para tratar a tosse, bronquite e para eliminar parasitas intestinais, já que possuem propriedades desintoxicantes, laxantes e diuréticas.
As flores, vão ajudar a aliviar a prisão de ventre e a prevenir edemas.
Os caroços,  poderá utilizá-los como remédio natural em alguns transtornos menstruais como dismenorreia e amenorreia. Além disso, também serão de grande ajuda para aliviar a asma e a tosse.

O miolo do caroço, ajuda a combater o cancro/câncer devido ao seu conteúdo de vitamina B17.

 

 

 

 

Qui | 15.11.18

A MTC - Medicina Tradicional Chinesa

Medicinas Alternativas
 

Acupuntura contra cólica

A acupunctura mostrou-se uma opção de tratamento eficaz para bebés diagnosticados com cólica - aqueles que choram por mais de três horas por dia em três ou mais dias da semana.

Em adultos, a acupunctura está associada com alívio da dor, restauração da função intestinal e indução da calma.

Por isso, Kajsa Landgren e Inger Hallstrom, da Universidade de Lund - Suécia decidiram verificar se a acupunctura também poderia resolver o choro excessivo dos bebés com cólicas.

Para isso, elas compararam dois tipos de acupunctura com o padrão de cuidados tradicional em 147 bebés cujas cólicas foram confirmadas em exames de rotina por médicos alopatas/químicos/convencionais em quatro centros de saúde infantil na Suécia.

Cólica infantil

Todos os bebés tinham idades entre 2 e 8 semanas de idade, eram saudáveis e todos tinham passado por uma dieta de exclusão de leite de vaca por pelo menos 5 dias, em uma tentativa de conter as cólicas e o excesso de choro.

Cada criança foi alocada aleatoriamente para um de três grupos (A-C): O Grupo A recebeu acupunctura padrão mínima em um único ponto (L14) por 2-5 segundos sem estimulação; O Grupo B recebeu acupunctura conforme receituário por especialista em um máximo de cinco pontos de acupunctura por até 30 segundos com estimulação leve; e o grupo C não recebeu acupunctura.

No total, 144 bebés concluíram o ensaio de duas semanas - o experimento exigia que as mães fizessem duas visitas adicionais ao centro de saúde infantil.

 

Acupunctura vence cólica e choro

O período de tempo gasto chorando excessivamente caiu em todos os três grupos, o que não era de todo inesperado, uma vez que as cólicas infantis tendem a sumir por si mesmas, dizem as pesquisadoras.

Mas a magnitude desta redução foi maior naqueles bebés que receberam qualquer tipo de acupunctura (grupos A e B) do que naqueles que receberam apenas o tratamento padrão (Grupo C). E, após duas semanas de tratamento, uma proporção significativamente maior dos bebês nos grupos de acupunctura deixaram de preencher os critérios para diagnóstico de cólicas em comparação com aqueles no grupo de cuidados padrão.

Durante a segunda semana, 16 bebés no grupo A ainda tinham cólicas infantis, comparados com 21 no grupo B e 31 no grupo C.

 

Como lidar com as cólicas infantis

"Inquietação e choro são comunicações normais para um bebé, de forma que o objectivo do tratamento é uma redução para níveis normais [de choro], e não o silêncio," escreveram as pesquisadoras, enfatizando que os pais devem registar quanto tempo seu bebé chora para ver se o choro é excessivo e depois tentar eliminar leite de vaca de sua alimentação antes de procurar mais ajuda.

E elas concluem: "Para aqueles bebés que continuam a chorar por mais de 3 horas por dia, a acupunctura pode ser uma opção de tratamento eficaz".

 

Obs.:

O leite em pó, especialmente o de vaca é de facto um dos piores males para a saúde humana, prejudicando essencialmente o sistema digestivo, entre outros. Já são conhecidos inúmeros casos, a saúde do bebé ou recém nascido foi prejudicada devido à ingestão de leites de origem animal, daí eles terem cólicas entre outras maleitas.

É essencial que a mãe amamente o seu filho ou filha, que esteja tranquila, sem stress (ou reduzido ao mínimo possível) e que a mãe não ingira alimentos que contribuem para o seu mal estar digestivo (que por sua vez vai influenciar o leite que amamenta, podendo gerar assim um círculo vicioso).

 

Temas relacionados:

Carne vermelha inflama o intestino e até causar diverticulite

A obstipação/prisão de ventre

Salsa: 15 benefícios

Intestinos: A relevância do bom funcionamento

Estes alimentos apoiam positivamente os seus intestinos

Quando medicina e indústria farmacêutica preferem as doenças

Herdamos as consequências da má nutrição

Você pode ser alérgico ao glúten e nem sequer desconfia

Confirmado: ADN de Alimentos Geneticamente Modificados são Transferidos para os Humanos que os Ingerem

Porque os teus avós não sofriam de alergias, já os netos não podem afirmar o mesmo

Qui | 15.11.18

A couve

Medicinas Alternativas
 
A couve ajuda a perder peso, ajuda na saúde da pele e até mesmo na cura das ressacas alcoólicas. 

 

Alto teor do mineral enxofre, a beleza é assim reforçada

A couve ajuda a manter a pele equilibrada e livre de doenças como a acne.Quando ingerimos a couve, o enxofre contido na couve é essencial à queratina, uma substância imprescindível à saúde do cabelo, da pele e das unhas.

 

Ajuda a desintoxicar o organismo

 O alto teor de enxofre  e  de vitamina C da couve, eliminam toxinas como ácido úrico e radicais livres. Estas toxinas, promovem a artrite, doenças de pele, a gota e reumatismo.

 

Ajuda a prevenir a tensão/pressão alta (HTA)

 O alto teor de potássio ajuda a evitar o estreitamento dos vasos sanguíneos, facilitando no fluxo de sangue e evitando que a pressão suba.

 

Anti-inflamatório e regulador de açúcar no sangue

Diz-se que os pigmentos vermelhos naturais da couve roxa reduzem os níveis de açúcar no sangue e aumentam a produção de insulina. Claro que não tem açúcar refinado e muito poucos açúcares simples (a glicose e a frutose). Tal como a beterraba, estes pigmentos vermelhos da couve roxa têm potentes propriedades anti-inflamatórias.

 

Couve contra as dores de cabeça

Uma compressa quente feita com folhas de couve pode ajudar a aliviar a dor de cabeça. Esmague folhas de couve, envolva num pano e aplique na testa. Além disso, para dores de cabeça crónicas, beba entre 25 e os 50 ml de sumo de couve crua por dia.

 

 É um alimento para o nosso cérebro

A couve é rica em antocianinas e em vitamina K, elas ajudam na função mental e também na concentração (p.ex.: nos estudos). Estes nutrientes ainda previnem da doença de Alzheimer e da demência, assim como de  danos nos nervos. A couve roxa é das couves a que tem a maior quantidade destes preciosos nutrientes.

 

Ideal para perder peso

Uma chávena de couve cozida tem muito poucas calorias, é ainda muito pobre em gorduras mas rica em fibra. 

Rica em componentes para prevenção do cancro

Lupeol, sinigrina e sulforafane promovem a actividade enzimática e prejudicam o aparecimento de tumores cancerígenos (cancro). Num estudo com mulheres, ficou demonstrado, uma significativa redução do cancro da mama quando a couve constava na alimentação.

  

Ressacas

Segundo reza a História, na antiga Roma usava-se a couve para tratar a ressaca alcoólica.

 

Nota:
Prefira sempre a couve biológica em vez da couve convencional.

 

Temas relacionados:

Os melhores alimentos para aumentar a fertilidade

27 alimentos mais alcalinos: Para proteger a sua saúde da larga maioria das doenças, incluindo cancro

Vitamina K2, muito relevante para a saúde humana

Para quem sofre de azia, gastrite e úlcera

Couve-flor; Benefícios e propriedades (receita)

Qui | 15.11.18

Tiróide Hachimoto

Medicinas Alternativas
 

A tiroidite de Hachimoto/Hashimoto é uma doença autoimune que ataca a glândula da tiróide. Um sistema imunológico disfuncional pode destruir a glândula através de anticorpos.

Inicialmente o ataque pode ser leve, mas acabará por causar uma inflamação e destruição gradual de sua glândula tiróide. Com o passar dos anos pode trazer efeitos colaterais graves e levar ao hipotiroidismo, causando também nódulos ou caroços.

A tiroidite de Hashimoto é uma das doenças da tiróide mais comuns, especialmente nas mulheres. Os problemas intestinais – como a disbiose e a permeabilidade intestinal – estão relacionados com o aparecimento e agravamento da doença e devem ser abordados com mudanças na dieta e estilo de vida. 

 

Sintomas mais comuns de Tiróide de Hashimoto

Nos estágios iniciais os sintomas da tiroidite de Hashimoto são silenciosos e podem passar facilmente despercebidos. Eventualmente, começa a ter os mesmos sintomas de hipotiroidismo, mais:

  • Cabelo e pele seca
  • Depressão
  • Diminuição da voz
  • Fadiga
  • Falta de resistência física
  • Sensação de frio
  • Ganho de peso
  • Prisão de ventre

À medida que a síndrome de Hashimoto avança, você pode sentir sintomas de hipotiroidismo um dia e sintomas de hipertiroidismo no outro. Isso é causado pela entrada na corrente sanguínea de células destruídas da tiróide. Estes sintomas incluem:

  • Ansiedade generalizada e ataques de pânico
  • Cãibras musculares
  • Diarreia
  • Dificuldade em dormir
  • Dor nos ossos
  • Fadiga
  • Inflamação
  • Inquietação e nervosismo
  • Irregularidades mentruais
  • Nódulos na tiróide
  • Problemas digestivos
  • Problemas em lidar com o calor ou frio
  • Sensação de aperto na garganta

Entre os principais problemas do hipertiroidismo estão as complicações cardíacas, incluindo taquicardia, insuficiência cardíaca e arritmia. A crise de tiróide é a chamada exacerbação aguda dos sintomas do hipertiroidismo, eles podem ocorrer devido a infecções e/ou stresse. Pode ocorrer também febre, diminuição do estado de alerta e dor abdominal, podendo chegar a casos de hospitalização.

 

No hipotiroidismo ocorre a deficiência das hormonas da tiroide, que pode potencialmente afectar o funcionamento de todo o corpo. A taxa de funcionamento normal do corpo diminui imenso, causando lentidão mental e também física. Os principais factores de risco são idade superior a 50 anos, ser do sexo feminino, obesidade, cirurgia de retirada da tiroide e exposição prolongada à radiação.

 

Também pode haver grandes variações nos resultados dos exames. Pode aumentar uma vez, abaixar na próxima, depois aumentar novamente, etc. Os sintomas são diferentes de pessoa para pessoa, alguns podem ter inchaço, outros não. 

 

Diagnóstico de Hashimoto – Anti-TPO e TgAb

Para fazer o diagnóstico da tiróide de Hashimoto é necessário fazer dois exames de anticorpos (precisa dos dois, apenas um não chega): exame anti-TPO (anticorpo anti-tireoperoxidase) e o exame TgAb (anticorpo anti-tireoglobulina).

 

O anti-TPO ataca uma enzima encontrada na tiroide – chamada de tireoide peroxidase – que é importante na produção de hormonas da tiroide. O TgAb ataca uma proteína chave na glândula tiróide – a tireoglobulina – que é essencial na produção dos hormonas T4 e T3.

Atenção: É comum que um médico fazer só um teste, mas você precisa de ambos os testes. Um exame pode ter um resultado normal e o outro elevado! Além disso, se o seu médico escolhe apenas o exame anti-TPO, existem outras doenças autoimunes que podem elevar o resultado. Observamos também que os exames com saliva têm menos precisão para detectar Tiróide de Hashimoto que os exames de sangue.

Há uma minoria de indivíduos que não têm anticorpos elevados, mas têm sintomas e suspeitam de Hashimoto, especialmente quando notaram oscilações entre sintomas de hipertiroidismo e hipotiroidismo ou uma diminuição da sua voz, ou inchaço na área de garganta. Se quiser mesmo a confirmação, pergunte ao seu médico sobre um teste de FNA (é uma aspiração com agulha fina). Este exame analisa as células de Hurthle que estão associadas a Hashimoto.

 

Os exames comuns mostram apenas alguns anticorpos

Alguns vão proclamar que os anticorpos dentro da faixa normal significam que você tem Hashimoto. Mas há uma grande diferença entre ter um resultado indicativo de Hashimoto e um resultado que confirma Hashimoto (um diagnóstico confirmado são os anticorpos muito acima da faixa).

Se o seu resultado for na área inferior do intervalo normal, ou menor que a normal (ou seja, indicativo de Hashimoto, ao invés de confirmação de Hashimoto), não se deve preocupar. É normal ter alguns anticorpos, pois uma das funções do sistema imunológico é utilizar anticorpos na remoção de células mortas.

Se os seus anticorpos estão subindo em direcção ao topo do intervalo, faça o que puder para melhorar o seu sistema imunológico. Isso pode incluir fármacos para a tiróide se os seus sintomas e exames apontam para um problema de tiróide. Muitos desses resultados normais ou quase normais não evoluem para Hashimoto grave.

 

A importância do diagnóstico de Hashimoto

Com o agravamento da Hashimoto, você tenderá a oscilar entre sintomas de hipotiroidismo e hipertiroidismo, o que torna impossível a determinar da dosagem de medicamentos através do exame de TSH. Os resultados dos exames serão elevados uma vez e baixos da próxima vez.

A oscilação para hipertireoidismo é causada pela libertação de hormonas da tiroide no seu sangue, devido à destruição do tecido tiroidiano. A oscilação para hipotiroidismo é causada pela diminuição da função da tiróide, devido ao ataque e destruição da glândula. Se você tem a Tiróide de Hashimoto sem os resultados convencionais nos exames, pode ser necessário insistir com o seu médico para "aumentar" a dosagem de fármacos para ajudar a eliminar os sintomas.

Além disso, os pacientes com essa doença de Hashimoto precisam ter atenção a outros problemas do sistema imunológico e às doenças autoimunes.

 

Transtorno bipolar, ansiedade e depressão

Vários pacientes relataram ter sido diagnosticados como bipolares, descobrindo depois que estavam em oscilações entre sintomas de hipertiroidismo e hipotiroidismo.

O ataque autoimune resulta em enormes flutuações nas hormaonas tiroidianas que causam grandes alterações no humor. Estas mudanças de humor também podem ser erroneamente diagnosticadas como síndrome do pânico, ansiedade generalizada e depressão. Se esta é a causa dos problemas psicológicos, geralmente não é recomendado começar a tomar remédios antidepressivos e ansiolíticos.

O problema surge quando os pacientes começam a tomar antidepressivos, ansiolíticos e outros fármacos, agravando o hipotiroidismo. Em vários países latinos como Portugal, existe um grave problema de dependência em benzodiapezinas. Quando os doentes começam a tomar fármacos como o clonazepam ou diazepam podem agravar os seus problemas psicológicos e ficar dependentes de um fármaco o qual também piora a saúde da tiróide.

 

O que fazer?

A maioria das pessoas que sofrem da Tiróide de Hashimoto, encontra pouco alívio ou mesmo nenhum na medicina ocidental/alopática/convencional. Frequentemente os fármacos geram mais problemas do que benefícios. A larga maioria dos médicos convencionalmente formatados, eles  não fazem ideia de como ajudar os doentes a recuperar a função imunológica. Muitos dirão que essa doença é incurável, porém lembre-se que os médicos e farmacêuticas dizem geralmente isso de imensas doenças (o negócio da doença tem de continuar, segundo eles). Na maioria dos doentes, são meramente medicados com o fármaco imunossupressor e/ou fármaco para a dor, e é tudo. Porém existem muitos factores que contribuem para o resultado de influências externas, como p.ex. o glúten na alimentação, o açúcar refinado ou químicos nocivos encontrados em produtos de cuidados pessoais, indisciplina, comer fora de horas, sono desregulado, fritos e grelhados, estas influências contribuem negativamente para a sua tiróide.

Se o seu médico só dispensa apenas alguns minutos para si e se limita a prescrever drogas farmacêuticas para o seu caso, então muito sensatamente, é hora de procurar outro técnico de saúde. A sua alimentação, os níveis de stresse, a sua saúde digestiva e as necessidades de desintoxicação, essas áreas têm impreterívelmente de sofrer mudanças. 

 

A primeira área a ser melhorada é a sua alimentação. Alimentos como ovos, trigo rico em glúten, manteiga de amendoim, margarinas e soja podem causar-lhe grande mal estar. Avaliar suas hormonas do stresse. Aumento dos níveis de stresse mental/emocional fará subir seus níveis de cortisol, aumentando assim o seu risco de inflamação e a dor física.

Ao efectuar as alterações adequadas na sua alimentação e equilibrar os níveis hormonais do stresse, é então hora de curar o intestino e melhorar as vias de desintoxicação do seu corpo, especialmente ter em atenção à disfunção do seu fígado. A maioria dos distúrbios relacionados ao sistema imunológico estaminais tem a sua origem na inflamação do aparelho digestivo. Curar o intestino vai exigir-lhe um adequado entendimento sobre a importância de alimentos fermentados e como deve utilizar probióticos (com pelo menos 10 variedades de bactérias e na ordem dos milhares de milhões de bactérias) com eficácia.

O fígado é a parte crucial de seu plano de recuperação da sua saúde. Antes de iniciar desintoxicar o fígado, vai ter de curar sem falhas o seu tracto digestivo (a larga maioria dos portugueses tem ou teve problemas do tracto) de forma a garantir a eliminação adequada dos detritos tóxicos que foi acumulando ao longo da sua vidas. A mobilização das toxinas, sem eliminação adequada pode levar a sérios problemas de saúde.

Aqui, o jejum, assim como a utilização da argila, especialmente a bentonite/bentonita são fulcrais.

Quanto mais mal estar, dores, nas primeiras 24 h de jejum vier a sentir, tanto mais intoxicado demonstra estar o seu organismo.

Os níveis de vitamina D têm de estar normais. Vigie a possível falta de minerais e de oligoelementos.

Atenção também à acidez do pH da urina e da saliva. O pH devia estar próximo do pH neutro. 

Importante vigiar o seu coração e sistema circulatório.

Ter em atenção a componente emocional, frustração, fúria, sentir-se humilhado, necessidade de se sentir incluído e não excluído, desespero, tristeza, euforia e outras emoções/sentimentos negativas sempre vão prejudicar a sua saúde.

 

Temas relacionados:

Tiróide: T3 Reverso

Quem trabalha por turnos...

Carne vermelha inflama o intestino e até causar diverticulite

Leite: Quão prejudicial é para a saúde humana

Substâncias que destroem a tiróide

Antioxidantes combatem problemas cardíacos

Sal rosa dos Himalaias, o mais puro e saudável sal, 18 benefícios

Você pode ser alérgico ao glúten e nem sequer desconfia

A obstipação/prisão de ventre

Doença de Parkinson começa no intestino e não no cérebro

A vitamina B12 e alguns mitos

Estes alimentos apoiam positivamente os seus intestinos

Herdamos as consequências da má nutrição

Os homens e/ou quem sofre do coração deviam saber...

 
 
Que o teu alimento seja o teu único medicamento! Hipócrates - Pai da Medicina