Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As Medicinas Tradicionais

Saúde; Medicinas Alternativas; Medicinas Naturais

As Medicinas Tradicionais

Saúde; Medicinas Alternativas; Medicinas Naturais

Qui | 15.11.18

A vida a diminuir no Ocidente

Medicinas Alternativas
 

Não só nos EUA, também na Alemanha, a média de vida parece estar a diminuir, após um período de crescimento contínuo nas últimas décadas. Este dados são os mais actuais, aguardam-se outros dados de outros países nos próximos tempos.

As pessoas estão a morrer mais cedo. Enquanto a expectativa de vida desce, entretanto, aumentam as despesas em cuidados de saúde (ou será antes cuidados com as doenças?!). E o número de doentes e de doenças continua a subir.

O departamento ianque de saúde U. S. Centers for Disease Control and Prevention`s, publicou em 2011, 1 relatório, segundo o qual, a média de expectativa de vida da população no EUA/EE UU voltou a diminuir.

 

O aumento do número de mortes deveu-se a doenças respiratórias cronicas o que fez com que a expectativa de vida caísse de 77,9 para 77,8 anos. Isto pode talvez parecer à primeira vista uma redução mínima, porém essa redução sinaliza inequivocamente o início de um movimento descendente. 
Na Alemanha passa-se o mesmo, segundo os dados recentes.

 

Altíssimos custos com os cuidados de "saúde" e pessoas doentes 
O relatório mostra, mais uma vez, o desajuste entre o aumento das despesas no sector da saúde e a mediocridade de resultados, como fica demonstrado através da baixa de longevidade. O sistema de saúde no EUA é sem margem para dúvidas um dos mais caros do planeta, porém a expectativa de vida da população ianque cai.

E não só isso,  eles não só morrem mais cedo, como também estão longe de estarem entre as pessoas mais saudáveis do mundo – como talvez seria de supor, devido ao sofisticado e dispendioso sistema de saúde ianque.

 

Por que isto está a acontecer nestes 2 países?

A notícia, na verdade, não é nada surpreendente. Pois quem hoje em dia, não se adaptar, à dose diária habitual de sintéticos/químicos, aos aditivos alimentares, se não aprender como transformar como que por magia os "alimentos" processados industrialmente e desvitalizados, em substâncias vitais/vivas, e também se não souber como pode deixar o seu corpo sofrer as mutações necessárias para que este continue a ser saudável mesmo estando quase todo o dia sentado, irá adoecer. Tão simples quanto isso.

 

Tratamento dos sintomas, em vez de formação em saúde

Precisamente aqui, neste ponto, o sistema de saúde de uma nação devia intervir. A sua tarefa seria a de explicar para as pessoas o que elas poderiam fazer melhor, contribuir de forma diferente, a fim de a pessoa ser e ficar saudável. Mas não é isso que acontece, bem longe disso.

Os chamados sistemas de saúde dos países industriais baseiam-se em grande parte no tratamento dos sintomas de uma doença. De uma formação em saúde, no sentido de uma significativa e verdadeiramente útil cura nutricional, assim como conselhos para a vida dos utentes, aqui os sistemas de saúde ocidentais estão ainda a anos luz desta realidade.

 

Pessoas saudáveis não interessam ao sistema de doença? 
Também receitar produtos naturais, suplementos alimentares ou medicamentos naturais, o quotidiano mostra que esta prática ainda é muito rara. Antes pelo contrário. Neste ponto, ainda se afirma levianamente que uma alimentação adequada e saudável pouco influencia o desenvolvimento da doença, e remédios naturais são completamente ineficazes!

Mais parece que eles querem manter a população, definitivamente, longe de um estilo de vida mais saudável , como se temessem perdas financeiras ou políticas caso as pessoas começassem a adoecer menos de cancro, de diabetes ou do coração.

 

Qual o médico que recomenda óleo de hortelã-pimenta para as dores de cabeça?

Já começa nas pequenas coisas. Qual o médico convencional que recomenda, p. ex., óleo essencial de hortelã-pimenta para as dores de cabeça ou dor de dente? Provavelmente, quase nenhum. Mas por que alguém quererá engolir um comprimido sintético para a dor, se existe uma excelente alternativa, sem trazer o risco de hemorragia interna (e de muitos outros efeitos colaterais das drogas farmacêuticas), como aquela célebre droga farmacêutica cujo nome começa por A?

 

Povo ideal: Apto para trabalhar mas com doenças crónicas 

Alguns acreditam que os governos destes países ficarão felizes perante a queda prevista da expectativa de vida. Quanto mais cedo as pessoas morrerem, menos o Estado (ou a Caixa de Previdência) tem que gastar em serviços sociais e cuidados de saúde.

Se este for o caso, a melhor combinação seria ter as pessoas aptas para o trabalho e cronicamente doentes, que pouco tempo antes da pensão/reforma/aposentadoria sucumbissem. Aí ambas as partes sairiam beneficiadas, ou seja, primeiro a indústria farmacêutica e, mais tarde o Estado/Caixa de Pensões/Aposentadoria.

 

As pessoas saudáveis são inúteis 
Segundo a perspectiva da indústria farmacêutica, você se torna inútil, caso você se prevenisse de ficar doente, pois neste caso, não iria precisar de drogas, cirurgia ou quimio("terapia"). E, do ponto de vista do Estado, você também é considerada inútil, i.e., quando você se aposenta/reforma, deixa de pagar tantos impostos como quando trabalhava, e caso se torne bastante idoso passa a ser encarada como um ónus financeiro para o Estado!

Vivemos no meio a um sistema em que as pessoas são consideradas uma espécie de galinha de ovos de ouro. Para que o "ouro" flua continuamente, não é preciso muito. Um pouco de manipulação aqui, um pouco de desinformação ali, e então tudo trabalha na direcção pretendida por quem puxa os cordelinhos.

 

Quem beneficia com a sua saúde? Só VOCÊ, claro!  
Poucos irão beneficiar com a sua boa constituição e sua saúde. Você mesmo e a sua família é que ficam a ganhar com a saúde. 

Daí a razão, de serem tão raros os anúncios que lidam com a prevenção de doenças e realmente com um modo de vida saudável. Pois, imagine, as pessoas poderiam ficar saudáveis e se tornarem tão velhas como algumas pessoas que atingiram mais de 120 anos.

 

Então, felicidades para a sua nova, livre e saudável vida!

A boa notícia é: ninguém tem de ficar amarrada ao sistema. Todo o mundo pode quase a qualquer momento, saber como ter uma vida saudável e como fazer prevenção de doenças. Não irá demorar muito. Depois de ter lido um pouco sobre o fascinante assunto, o seu espírito vai reconhecer a verdade.

Os seus olhos vão arregalar-se e vai descobrir: a sua saúde e a sua expectativa de vida estão mesmo nas suas mãos.

Você, pode tornar-se independente do sistema de saúde/doença que é pouco útil. Assim que começar a pensar de modo diferente, vai reconhecer e ter consciência das manipulações e fraudes das empresas farmacêuticas assim como do Estado e verificar como é óptima a sensação de assumir a responsabilidade pela sua saúde.

 

Nota:

Desconheço se a longevidade em países como Brasil, Cabo-Verde e Portugal está também a baixar. A avaliar pela contaminação e grau de poluição no Brasil e em Portugal, aumento de doenças, a par da deterioração dos valores sócio-económicos nestes 2 países, não se augura nada de positivo, a não ser que se dê uma revira-volta na melhoria da qualidade de vida destas populações.

 

Longevidade em diversos países (em anos)

- Mónaco              89,5

- Singapura          85

- Macau                84,5

- Islândia               83

- Suíça                  82,6

- Luxemburgo       82,3

- Itália                   82,2

- Suécia                82,1

- Liechtenstein      81,9

- França e Noruega 81,8

- Espanha               81,7

- Alemanha             80,7

- Grécia                  80,5

- EUA/EE UU         79,8

- Portugal               79,3

- Síria                     74,9

- Brasil                    73,8

- Moçambique         53,3

- Guiné-Bissau        50,6

 

Temas relacionados:

Ter filhos aumenta a longevidade

Brasil e Indonésia: Longevidade; A UE perde em toda a linha

Sabia que estar demasiado tempo sentado...

Jejum renova as células, diz Nóbel de medicina

”Os segredos de saúde dos Hunzas”

Longevidade: Iraniano com 134 anos de idade

China: A terra da longevidade

Encontrada a bactéria do rejuvenescimento?

 

Fontes:https://as-medicinas-alternativas.blogs.sapo.pt/ocidente-a-longevidade-esta-a-diminuir-199452