Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As Medicinas Tradicionais

Saúde; Medicinas Alternativas; Medicinas Naturais

As Medicinas Tradicionais

Saúde; Medicinas Alternativas; Medicinas Naturais

Qui | 08.11.18

As dores

Medicinas Alternativas

Tem dores?

15.03.16
 

Se tiver algum tipo de dor/inflamação no corpo, então é sensato manter-se distante em relação à batata (sobretudo inglesa, vulgo batata comum), à beringela, aos pimentos e tomates.

Imagem: vertigro.com

Porquê?

Devido ao facto de estes alimentos pertencerem à família das solanáceas,por conterem solanina. Estes alimentos, são conhecidos por agravarem a dor/inflamação. A Solanina é um veneno. Quimicamente é um glicoalcaloide tóxico, amargo (C45 H73 NO15), formado por um alcalóide (a solanina)que funciona como um mecanismo de defesa para a planta, e por um hidrato de carbono (carbohidrato). O problema é que esse alcalóide prejudica os seres humanos e esses 4 alimentos podem causar graves efeitos secundários.

Por conseguinte, é importante não consumi-los em excesso, pois o seu intestino e as suas articulações são os que mais sofrem com a solanina. A solanina reage desfavoravelmente com o cálcio presente nos seus ossos, o que os vai deixar mais fracos.

A solanina, prejudica todo o tracto gastrointestinal/estômago-intestinos.

Para além disso, quando a solanina é absorvida pela sua corrente sanguínea, ela danifica os seus glóbulos vermelhos, os quais são portadores de oxigénio.

Todas as pessoas, tendo algum tipo de inflamação no corpo é sensato evitar comer estes vegetais com solanina, senão ela vai agravar a inflamação no seu corpo.

Além de que esta substância tão tóxica não é solúvel na água, continuando lá mesmo após o cozimento desses vegetais.

Atenção!

Desses tubérculos, os que estiverem murchos, de cor esverdeada ou com pontos pretos, tendem a apresentar níveis mais elevados de solanina e de glicoalcalóides.

Os glicoalcalóides das solanáceas são produzidos em quase todas as partes das respectivas plantas, tais como as raízes, os tubérculos, os rebentos (brotos ou grelos), e as folhas, a partir do colesterol.
 O colesterol dá origem a um alcalóide denominado solanidine. Por acção da glicosiltransferase ocorre a glicolização da solanidine, formando o glicósido denominado solanina.

São conhecidos vários efeitos tóxicos graves ou mesmo gravíssimos no organismo humano, devidos ao consumo de solanáceas (devido ao conteúdo de solanina e de outros glicoalcalóides), tais como batatas, tomates, pimentos, etc.

O seu efeito tóxico ou venenoso faz-se sentir fundamentalmente em:

  • Sistema nervoso central (alucinações, sintomas neurológicos);
  • Membranas celulares e gastrointestinais (hemorragias, edemas em cavidades corporais, etc.);
  • Fígado (intoxicação hepática);
  • Efeitos teratogénicos (nocivos ao desenvolvimento do feto). A ingestão de solanáceas, pela mulher grávida, devido ao seu conteúdo em glicoalcalóides aumenta a incidência de defeitos ou anomalias estruturais e funcionais durante o desenvolvimento do feto.

Além disso pode provocar diminuição da fertilidade ou mesmo infertilidade, retardação do crescimento intra-uterino ou mesmo a morte do feto.

Segundo estudos em animais, verificou-se que a solanina se acumula nos órgãos pela seguinte ordem:
Baço, Rins, Fígado, Pulmões, Coração, Cérebro e Sangue.

À luz dos estudos actuais supõe-se que nos seres humanos a solanidine se acumula em maior quantidade no Fígado.

Mesmo nas pessoas saudáveis, apenas 78% da solanina é eliminada pelas fezes e urina nas 24 horas após a ingestão, o que demonstra o perigo de acumulação do que não é eliminado diariamente, acrescido o perigo do consumo diário repetido de alimentos ricos em solanina.


A dose tóxica média é de 2 a 5 mg por quilograma de peso corporal e os sintomas manifestam-se desde passados 30 minutos após a ingestão (se tiver ingerido grande quantidade) até 8 a 12 horas após a ingestão.
A solanina é praticamente insolúvel em água e é estável ao calor, o que dificulta a sua inactivação pelo processo normal de cozedura.

Certos estudos consideram como aceitável a ingestão diária de 300 g de batata por dia (cerca de ¼ de kg).
Contudo o mais seguro é evitar a ingestão deste tipo de alimentos altamente tóxicos e perigosos. Note-se que sobretudo em pessoas doentes, haverá um efeito acumulativo de toxicidade, nomeadamente ao nível do fígado e de outros órgãos já por alguma razão intoxicados. E nesses casos há motivos adicionais de sobra para evitar o consumo de tais alimentos perigosos.


SINTOMAS RESUMIDOS DE INTOXICAÇÃO

  1. Paragem respiratória e perda da função cardíaca por fibrilhação ventricular;
  2. Perda de consciência, com olhar fixo, pupilas dilatadas e visão turva;
  3. Ansiedade;
  4. Dificuldade de movimentação da língua e de articulação de palavras, com produção excessiva de saliva;
  5. Vómitos e diarreia com tenesmo;
  6. Cólicas abdominais, cólicas intestinais e possibilidade de evolução para tumor ou de evolução para cancro do cólon ou cancro do útero;
  7. Respiração rápida e irregular, frequentemente suprimida, geralmente curta incompleta e difícil;
  8. Pulso radial (à palpação) fraco, pouco perceptível e rápido;
  9. Cãibras nos membros com contracções espasmódicas nos dedos;
  10. Rigidez generalizada, tosse, cansaço e fadiga;
  11. Pele pálida;
  12. Suores frios e extremidades frias



FACTORES QUE AUMENTAM A CONCENTRAÇÃO DE SOLANINA NAS BATATAS, ETC.

A) Quanto ao cultivo agrícola:

  1. Plantação superficial dos tubérculos (batatas) (recomenda-se que sejam plantados pelo menos a 15 cm do solo);
  2. Adubação azotada, sobretudo tardia, no solo (a aplicação tardia e excessiva de nitrogénio (azoto) aumenta a concentração de solanina);
  3. Arrancamento dos tubérculos demasiado cedo (ainda “verdes”) antes de estarem “maduros”.

B) Quanto à armazenagem:

  1. Evitar a exposição à luz e ao calor;

C) Quanto à escolha e verificação:

  • Evitar tubérculos (batatas) que estejam murchos, verdes e/ou grelados;
  • Evitar comer em excesso, ou diariamente ou frequentemente destes alimentos (batatas, tomates, pimentos, etc.) ou evitá-los mesmo de todo deixando de os consumir, nomeadamente se não são escolhidos, consumidos e cozinhados em casa;

3. Quanto mais velhas forem as batatas menor será a concentração de solanina;
4. A solanina encontra-se entre a casca e o miolo dos tubérculos (batatas, etc).

Nota: Tomates verdes contêm solanina em altas doses.

 

E agora?

ideal será porventura deixar de comer estes vegetais. Ou pelo menos reduzir o consumo deles.

Qualquer tipo de carne, também é de excluir assim como do açúcar. Porquê? Porque acidificam o organismo, trazendo rápida degeneração e inflamações.

 

Tem artrite? (Há que diferenciar entre artrite e artrose).

 

Plano de alimentação em caso de artrite, p.ex.:

 

Ao pequeno almoço:

- Beber uma caneca de água filtrada ou engarrafada, o mais quente possível, em jejum.

ou

Jejuar! O jejum ajuda imenso no caso de inflamação, muito mais do que as pessoas imaginam. 

ou

- Alternativa; Uma infusão de plantas medicinais, como p.ex.: alecrim (Rosmarinus officinalis) ou açafrão da Índia (Curcuma longa) ou sabugueiro ou garra-do-diabo (Harpagophytum procumbens) ou orégãos.

 

- Merenda ao meio da manhã (Após o chá/infusão):

Comer fruta madura e biológica, da estação do ano e da região onde vive. Ou pode fazer um batido cremoso de legumes ou de frutas.

ou

Beber uma bebida à base amêndoas ou arroz.

 

Almoço:

Comer muita salada, composta por folhas de alface, rúcula selvagem, milho biológico, couve roxa, couve-flor, pastinaca, etc.,e também de plantas silvestres como dente de leão,beldroegas, coentros, aipo, germinados com um pouco de gotas de limão ou vinagre de maçã (cidra) e azeite de primeira pressão (extra-virgem com menos 1º de acidez) ou óleo de cânhamo ou de linhaça. Juntar uma pitada de sal de ervas ou sal dos Himalaias.

 

Merenda à tarde:

Uma mão cheia de amêndoas (com casca ou sem, como preferir) e tâmaras sem caroço. Ou então fazer uma bebida fresca de amêndoas com tâmaras sem caroço.


Jantar:

Legumes cozidos a vapor (preferencialmente e pouco tempo), juntar p.ex. castanhas, milho painço, trigo sarraceno, quinoa, amaranto ou batata doce. (Juntar apenas 1 dos ingredientes)

 

 Nota: Curiosamente, os incas e os aztecas não comiam o tomate; A planta parece ser originária da América Latina e os antigos povos não comiam essa solanácea, apenas usavam a planta para decoração.

 

Fontes:

zentrum der gesundheit

reumatoguia

Prof. Manuel Moreira

naturmed

https://as-medicinas-alternativas.blogs.sapo.pt/tem-dores-93586