Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As Medicinas Tradicionais

Saúde; Medicinas Alternativas; Medicinas Naturais

As Medicinas Tradicionais

Saúde; Medicinas Alternativas; Medicinas Naturais

Sex | 09.11.18

Estes ingredientes intoxicam o cérebro

Medicinas Alternativas
 

Há alimentos e aditivos que podem prejudicar o nosso intestino, danificam o fígado e até o cérebro. 

 

Vejamos quais são:

1- Glúten

glúten é uma proteína comum de largo consumo mundial. Ele é encontrado no trigo, na cevada, no centeio, no Kamut e no trigo espelta. Esta proteína se liga à parede do intestino delgado, onde pode causar doenças no tracto digestivo e no sistema imunológico. A doença celíaca é a doença mais comum, devido a uma intolerância ao glúten. O glúten desempenha um papel importante na inflamação do cérebro e do sistema nervoso.

Não será por acaso, que há cada vez mais pessoas (a maioria nem sabe) intolerantes ou sensíveis ao glúten, devido ao facto de a agro-indústria/laboratórios de engenharia agrária terem adulterado e manipulado de tal forma as sementes de trigo, que agora o organismo humano reage enviando sinais de rejeição. A agravar também a realidade de a larga maioria da farinha de trigo ser refinada, no pão, bolos, biscoitos, o que baixa enormemente a qualidade do trigo.

Investigações levadas a cabo, têm demonstrado inúmeras correlações entre a sensibilidade ao glúten e transtornos em todas as áreas do sistema nervoso, seja no cérebro, na coluna vertebral ou nos nervos periféricos. Está também comprovado que o glúten representa um decisivo factor de doenças psíquicas, de deficiência cognitiva, na demência e praticamente todas as outras doenças neurológicas.

 

Nota: A MTC e a Naturopatia/Naturologia sabem há muitos séculos que o intestino é o nosso 2º cérebro. Se o intestino não está em equilíbrio, a mente inevitavelmente entra em desequilíbrio.

 

2- Adoçantes Artificiais
Quer se trate de aspartame (ou AminoSweet, é o mesmo químico/adoçante), sucralose (Splenda) ou sacarina (Equal, Sweet ʼN Low), a publicidade sempre enfatiza que eles não têm calorias, por isso estes adoçantes artificiais são muito populares hoje em dia. Estes intoxicam durante décadas, os nossos cérebros. O aspartame é uma mistura de vários compostos químicos, ácido aspártico (um aminoácido que actua sobre as células do cérebro, causando agitação nessas células), mais metanol e fenilalanina.

O aspartame forma uma substância química que contribui para a formação de tumores cerebrais.
O consumo de aspartame pode desencadear uma ampla gama de sintomas de ataques de ansiedade, problemas na fala e depressão, até enxaqueca. O aspartame e outros adoçantes artificiais encontramos facilmente em refrigerantes , iogurtes, chicletes/pastilhas, molhos, água com adição de aromas, flocos de pequeno-almoço, e produtos "Leves/Light"(!).

 

3- Glutamato monossódico/de sódio(GMS)

O glutamato de sódio, é um tipo de sal concentrado, que é misturado com a comida como intensificador de sabor. Dessa maneira o cérebro sabe que a refeição é saborosa. Como o GMS é uma excitotoxina, faz com que o cérebro distribua grandes quantidades de dopamina, a hormona do bem estar. Esta boa sensação desaparece, infelizmente, rapidamente, no entanto os efeitos secundários continuam. A excitotoxina está associada a danos cerebrais em estreita ligação com a Doença de Parkinson, Doença de Alzheimer, demência, esclerose múltipla, Lúpus eritematoso sistémico e outras doenças neurológicas.

 

4- Açúcar refinado (branco ou amarelo)

O açúcar Industrial transformou-se em um dos ingredientes mais comuns na nossa comida, infelizmente e um dos mais perigosos. O frequente consumo de açúcar está associado a inúmeros problemas de saúde, com  consequências negativas para o cérebro humano.

O açúcar refinado, suprime a proteína BDNF, uma hormona de crescimento, a qual desempenha no cérebro um papel muito relevante. BDNF garante que os neurônios do cérebro formem novas conexões, as quais  são muito importantes para a memória. Investigações levadas a cabo em doentes com depressão e esquizofrenia, revelaram  baixos valores em BDNF. O consumo de açúcar refinado pode piorar o estado, fazendo cair ainda mais os valores BDNF.

O açúcar refinado também aumenta as inflamações, o que pode afectar o tracto digestivo e o sistema imunológico. Caso a inflamação se torne crónica, aumenta possivelmente, o risco de depressão e a esquizofrenia. Segundo uma investigação, os doentes que restringiram o consumo de açúcar refinado, apresentaram uma significativa melhoria a nível do estado mental e no humor.

 

E agora, o que fazer?

- Evitar o glúten, comendo alimentos sem glúten.

- Evitar o açúcar refinado, mesmo o amarelo e todos os adoçantes artificiais. Em vez disso, açúcar mascavado/integral (consumo moderado) ou xilitol.

- Evitar todo o glutamato. Em vez disso usar mais alimentos frescos e biológicos mais ervas/plantas aromáticas como açafrão da Índia, alecrim, canela, cebolinho, coentros, cominhos, funcho, gengibre, salsa,...

 

Fontes:

info.kopp-verlag

zentrum der gesundheit

Naturopatia

Naturologia

Cura pelas Plantas

Curas da natureza

https://as-medicinas-alternativas.blogs.sapo.pt/ingredientes-que-intoxicam-o-seu-96044