Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As Medicinas Tradicionais

Saúde; Medicinas Alternativas; Medicinas Naturais

As Medicinas Tradicionais

Saúde; Medicinas Alternativas; Medicinas Naturais

Qua | 07.11.18

Mito: Vacinação garante imunidade

Medicinas Alternativas
 

A inverdade em relação à vacinação de “imunidade de grupo” (também conhecida por efeito rebanho ), é aceite pela maioria das pessoas que sofreram lavagem cerebral para ficarem hipocondríacas e histéricas sobre as doenças infecciosas. Os médicos repetem vezes sem conta aos seus pacientes que todas as doenças são genéticas (que significa herdadas) e que todos os seres humanos nascem muito débeis, já com sistemas imunológicos deficientes e que devem receber 50 vacinas antes dos sete anos de idade para assim "sobreviverem" ao ataque de 50 doenças infecciosas diferentes, caso contrário irão ficar paral´ticos, mutilados e zombis/zumbis.

“Você vai morrer de doenças infecciosas!” – Se você não bombear o seu tecidos e muscúlos, cérebro e sistema nervoso central com mercúrio, formaldeído, MSG, alumínio, várias estirpes e combinações de vírus vivos (mas latentes), bactérias geneticamente modificadas, sorbitol (sim, o adoçante artificial usado como um emulsionante e agente de transporte, também conhecido como um “adjuvante”), o mortal cloreto de sódio, e claro o fosfato de alumínio para aumentar a toxicidade do mercúrio. Essa é a verdade que nunca é explicada, ou ninguém iria aceitar uma destas vacinas insensatamente sobrecarregadas de substâncias tóxicas e cancerígenas.

“Ovelhas” acreditam no mito de rebanho – aqui está o motivo…

“Há segurança nos números,” dizem os defensores da vacinação em massa. “Os não vacinados é que são o maior risco”, vão eles anunciar durante a esgrima amedrontadora com seus argumentos errôneos. As pessoas regurgitam sem sequer reflectirem, no que o seu médico convencional pronuncia no final do exame de rotina e vacinação e se alguém ainda assim adoecer da doença para a qual foi vacinada, o médico afirma que isso se deve a tudo, excepto à vacina!

A comunicação social que quase toda ela pertence aos mesmos donos, repete até à exaustão da mesma maneira que Hitler e seu propagandista Goebbels que tantas vezes repetiram as mentiras até elas serem aceites como verdades. 

Transmissão viral explicada

O momento mais perigoso para a propagação de doenças infecciosas são as duas primeiras semanas após uma criança (ou adolescente ou adulto) ser injectado com a “imunização”, a qual contem uma versão do vírus. A indústria das vacinas dirá que os vírus foram “amortecidos” ou “enfraquecidos”, quando na realidade o que ela fez foi contê-los usando formaldeído (fluido de embalsamamento de cadáveres), porém o vírus fica adormecido no tecido muscular humano, à espreita (que nem uma toupeira) de ser alimentado e “despertado” de seu modo de hibernação ou “sono”. É um facto científico, que qualquer pessoa injectada com um vírus vivo pode lançar esse vírus através da saliva ou muco a qualquer pessoa, tenha ela sido inoculada/vacinada ou não, sem ela nunca ter a própria doença.

Enquanto isso, injectando neurotoxinas conhecidas nos seres humanos, a fim de fustigarem o sistema imunológico em uma reacção “saudável”(!) o que é no mínimo paradoxal. Não é nada natural e é sim perigoso. Ainda assim, pais paranóicos com as doenças infecciosas, prontamente entregam o seu argumento de que, sempre que houver um surto de sarampo, varicela ou gripe numa escola, todas as crianças não vacinadas são as culpados e precisam de ser banidas da escola até receberem suas vacinas. No entanto, a verdade é bem diferente, contudo a comunicação social em nada interessada em investigação e na verdade, publica e difunde o medo entre os pais.

Já alguma vez pensou, se de facto a criança/adolescente/adulto foi vacinada, então não seria suposto a criança não adoecer mas sim a que não foi vacinada? Porque será então que as crianças vacinadas é que adoecem mais que as não vacinadas?

Quer ser saudável e fazer parte do “mundo natural”? Procure alimentos benéficos para o sistema imunológico, vitamina D, vitamina C, chlorella e equinácia e bastante sol (sem exageros e sem protector solar). Certifique-se de obter todas as suas vitaminas e minerais através de seus alimentos naturais e biológicos. Apenas tem que comer direito e alimentos não convencionais isentos de pesticidas/transgénicos/OGM de forma a obter boa imunidade.

 

Poderá também interessar-se por:

Epidemias, autismo e vacinas: A indústria farmacêutica fabrica e factura

Vacinação: H1N1 contamina os vacinados com SIDA/AIDS !

Cabo Verde: Confirma 7164 casos de zika e nenhum caso de microcefalia

Presidente Putin: OGM e vacinas ameaçam a evolução da humanidade

A farsa das vacinas/vacinação

Estudo: O vírus Zika não é a causa da microcefalia mas sim vacinas

França: Suspendida vacina suspeita de causar doenças

O vírus do sarampo não existe?

Estudo oficial: crianças que não são vacinadas são mais saudáveis

Tribunal da Rep. Checa decide pela liberdade de os pais não vacinarem os filhos

Vacinas: Médicos indianos apresentam queixa-crime contra Bill Gates

Ainda acha que a indústria farmacêutica e as vacinas são benéficas ?!

Médicos e farmacêuticos: Estudos sobre as vacinas são medíocres

Afinal a vacina da gripe não protege o adulto !

"Gardasil®, vacina mortal?"

Os perigos da vacinação!

 

Fontes:

Notícias Naturais

Mundo Natural

Cura Pelas Plantas

Cura pela Natureza

zentrum der gesundheit

kopp-verlag

prwda-tv

https://as-medicinas-alternativas.blogs.sapo.pt/mito-vacinacao-garante-imunidade-127802