Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

As Medicinas Tradicionais

Saúde; Medicinas Alternativas; Medicinas Naturais

As Medicinas Tradicionais

Saúde; Medicinas Alternativas; Medicinas Naturais

Qua | 07.11.18

O Pau D´Arco e o cancro

Medicinas Alternativas
 

 

As propriedades de uma planta eficaz ao debelar as anemias

 

Trata-se de uma planta muito utilizada pela Naturopatia em Portugal, está disseminada por todos os países latinos da América do Sul e Central, nos quais é denominada lapacho. 

A utilização nas leucemias e outros cancros remonta a tratamentos realizados por médicos e naturopatas brasileiros na década de 60, no seguimento da sua ampla utilização por várias tribos de índios da Amazónia brasileira e peruana.

Vários estudos têm confirmado a acção do lapachol do pau d’arco como anticancerígeno. Na leucemia, reduz a acção da telomerase, aumentando a morte das células cancerígenas, segundo uma investigação. No cancro da mama, inibe os receptores dos estrogénios,) e no cancro do fígado, inibe o seu crescimento e metastização.

No que toca ao cancro da bexiga, inibe o crescimento e aumenta a apoptose . No cancro da próstata, inibe a inflamação e reduz também a acção da telomerase e nos cancros do pulmão  e cólon aumenta também a apoptose das células cancerígenas.

Princípios activos 


Derivados naftoquinónicos, com destaque para o lapachol com propriedades anti-tumorais, pró-apoptóticas (estimula a morte das células cancerígenas), anti-inflamatórias, imunoestimulantes, diuréticas e antivirais. Destaque também para a quinona, que estimula o fígado a produzir protrombina e outras substâncias que participam na coagulação do sangue. Contém ainda flavonóides, especialmente quercetina, com acção antioxidante, anti-inflamatória e anti-alérgica; óleos essenciais com acção antibiótica, e coenzima Q10, um forte regenerador celular. 

Principais propriedades 

É eficaz no combate das anemias. Aumenta a produção de glóbulos vermelhos e da respectiva hemoglobina por um estímulo na medula óssea vermelha. Esta acção também conduz a uma maior produção de glóbulos brancos. É amplamente utilizada em doentes oncológicos a fazerem quimioterapia, de forma a reduzir os efeitos secundários desta terapêutica e, concomitantemente, estimular o sistema imunitário a lutar contra a patologia.

Outras propriedades 

Tem uma acção antibiótica, sendo por isso aconselhado como coadjuvante no tratamento e prevenção de gripesamigdalitesinfecções urinárias e bronquites. Pela sua acção regeneradora dos tecidos e hemostática é muito utilizado na cicatrização de feridas externas ou internas (úlceras de estômago ou duodeno). Também é em candidíaseinfecção por HIV, infecção na próstatamiomas no útero e quistos nos ovários.

 

Administração 

Em tintura: Meia colher de sopa (2 vezes/dia).
Em xarope: 2 a 4 colheres de sopa por dia. 
Comprimidos: Até 1 g por dia. 
Em tisana: ½ colher de sopa para 1 chávena. 

Precauções
É preferível por precaução, não tomar durante a gravidez, poderá ser abortivo. Algumas pessoas poderão apresentar urticária. Se for o caso, consulte o seu técnico de saúde.


Sumo para a anemia
Faça uma tisana em meio litro de água com duas colheres de sopa de pau d’arco. Coe e junte uma beterraba, um cacho de uvas vermelhas e o sumo de um limão com sementes. 
Liquidifique e beba um copo, três vezes ao dia, 15 minutos antes das refeições.

 

Fontes;

zentrum der gesundheit

https://as-medicinas-alternativas.blogs.sapo.pt/o-pau-d-arco-94405