A resposta pode estar no consumo regular de trigo sarraceno, também chamado de trigo mourisco. Esse resistente grão é um marco da Europa oriental desde épocas remotas, e os russos têm uma participação importante no curso dessa história: a região em torno do lago Baikal foi a primeira área no mundo a registrar o cultivo perene desse tipo de trigo.

Bastante apreciado na Ásia, os grãos de trigo sarraceno europeus, chamados de grumos, são torrados, fervidos e consumidos tanto como mingau ou acompanhamento no lugar de arroz e batatas.

Das estepes da Ásia Central e das planícies siberianas, o trigo sarraceno trilhou seu caminho rumo ao Ocidente por meio de rotas de comércio e invasão históricas, e seu nome – sarraceno – foi dado em homenagem aos mouros do sul da Espanha.

Sua curta temporada de cultivo e a capacidade de germinar em solo infértil representaram uma salvação para grande parte da população pobre da Europa agrária.

Foram os holandeses que batizaram o grão em referência à Escritura Sagrada, pois acreditavam ter sobrevivido a adversários semelhantes ao longo dos séculos.

Eles foram os primeiros a trazê-lo ao Novo Mundo, onde desfrutou de grande popularidade no século 19, embora seja pouco conhecido nos dias de hoje.

Uma pena, contudo, pois o trigo sarraceno é uma excelente fonte nutricional. “Ele apresenta mais proteína do que o arroz, trigo ou milho, e não contém glúten”, escreve o nutricionista e autor de diversos best-sellers sobre o assunto, Nicholas Perricone, que coloca o trigo mourisco no topo da lista de grãos e leguminosas para seus pacientes.

O trigo sarraceno é um ingrediente presente e versátil na culinária russa.  A primeira vez que o encontrei foi em São Petersburgo no final dos anos 80, quando a oferta de alimentos ainda era limitada.

Minha amiga Asiia e sua mãe comiam trigo mourisco ou gretchka, como os russos o chamam, em todas as refeições. Durante minhas frequentas visitas, passei a consumir e apreciar o grão, não só pelo sabor, mas também pela quantidade de energia fornecida. Uma porção de gretchka é suficiente para manter uma pessoa em ação por boas horas.

Não é à toa que esse alimento milagroso da Rússia aparece sobre a mesa em quase todos as refeições. O mingau de trigo mourisco ao pequeno almoço é seguido pela trigo sarraceno como acompanhamento.

A combinação dos céus, contudo, é a mistura de trigo sarraceno com outra iguaria russa: cogumelos! A mistura de trigo sarraceno e cogumelos é um clássico e, para os imigrantes russos, representam o sabor de outros tempos.

O tradicional prato russo pode ser consumido como um acompanhamento saudável,  ou até mesmo como prato principal no caso dos vegetarianos e veganos.

Já experimentou o trigo sarraceno com cogumelos?

 

Fonte:

Jennifer Eremeeva

Gazeta Russa

https://as-medicinas-alternativas.blogs.sapo.pt/os-milagres-do-trigo-sarraceno-nao-13974